CCBB inaugura exposição de designers

O Centro Cultural Banco do Brasil(CCBB) de Brasília inaugura nesta terça-feira à noite uma exposiçãoreunindo uma série de peças recentes produzidas pela célebredupla de designers brasileira, os irmãos Fernando e HumbertoCampana. Na ocasião também será lançado um livro que analisa osprincipais elementos dessa produção, que vem conquistando ointeresse não apenas do público nacional, mas também da críticae do mercado internacional. A grande originalidade dos Campanas reside na formacriativa com que manipulam diferentes materiais, trazendo para ocampo do mobiliário elementos alheios a ele. Em vez de utilizara madeira para construir cadeiras, eles lançaram mão dos cartõescorrugados; seus biombos mais recentes têm uma impressionantebeleza escultórica e, no entanto, são feitos de antenas detelevisão; e seus sofás, em vez de serem forrados do mais finoveludo, são feitos de bichinhos de pelúcia comprados na 25 deMarço (rua paulistana onde se encontram verdadeiraspechinchas). Segundo Humberto Campana, talvez a grande novidade emsuas criações mais recentes resida no fato de que eles estãoampliando sua atenção para além do horizonte urbano, dasexperiências com materiais e resíduos industriais, para trazerpara dentro de suas peças elementos resgatados da tradição e doartesanato brasileiros. Ele conta, por exemplo, que no anopassado estiveram na Amazônia, onde conheceram um novo materialque vem sendo bastante explorado localmente: a fibra de cocoembebida em látex. Esse material já foi transformado emrevestimento de uma poltrona de estrutura metálica. Esse contato com a tradição popular também tem seusreflexos estéticos. "Trata-se de uma exposição muito colorida,voltada para o Brasil, para o Nordeste", promete HumbertoCampana. A questão da apropriação da linguagem e da baixatecnologia empregada na arte e artesanato popular também serádiscutida durante seminário sobre os rumos do design, que teráinício na quarta-feira, no Instituto Tomie Ohtake. O encontro,que contará com a participação de importantes criadores dodesign italiano, como Ricardo Bello Dias, Santiago Mirante eGaetano Pesce, está sendo organizado por ocasião do eventoAbitare Italia 2003. "Nosso objetivo é tratar de uma temáticabastante atual, discutir como unir o artesanato ao design,trabalhar com a baixa tecnologia em vez de usar a tecnologia deponta", explica Maria Helena Estrada, organizadora do evento.Para ilustrar sua proposta, ela menciona por exemplo o trabalhode Pesce, que rompe com a idéia de produção em massa ao criaruma técnica única de trabalho artesanal do poliuretano, indo nacontramão da homogeneização do produto. Em sua terceira edição, a mostra - que reúne cerca de 80peças, assinadas por aproximadamente 50 criadores - se propõe aapresentar ao público brasileiro uma seleção de importantespeças produzidas pela indústria italiana. Infelizmente a seleçãotem como ponto de partida apenas os produtos made in Itália quesejam representados comercialmente no Brasil, o que reduz apossibilidade de utilizar o evento para divulgar as inovações.Serviço - Abitare Italia 2003. De terça a domingo, das 11 às 20horas. Seminários quarta e quinta das 19 horas às 21h30.Instituto Tomie Ohtake. Avenida Faria Lima, 201, em São Paulo,tel. 6844-1900. Até 23/3. Abertura terça às 19 horas

Agencia Estado,

17 de fevereiro de 2003 | 16h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.