CCBB do Rio abre série de encontros 'Relendo o Choro'

Há 50 anos, o maestro, compositor e arranjador Radamés Gnatalli modernizou o choro com experimentações sonoras, que aproximavam a música erudita e a popular. No século 21, o gênero nascido no Rio continua se renovando. Anteontem, foi aberta no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio a série ''Relendo o Choro'', criada para mostrar o que ''chorões'' da cidade e também de São Paulo andam tocando e cantando. O Novo Quinteto, herdeiro de Radamés, abriu a programação. Formado em 2000, o conjunto de Henrique Cazes (guitarra e cavaco), Maria Teresa Madeira (piano), Marcos Nimrichter (acordeão), Omar Cavalheiro (contrabaixo) e Oscar Bolão (bateria) guia-se pelas partituras originais do compositor, mas abre espaço para solos de guitarra.No repertório, Jacob do Bandolim (Biruta), Pixinguinha (Sofres Porque Queres) e Radamés (Remexendo, Amargura, Variações Sobre o Samba do Urubu). ?O quinteto do Radamés foi muito importante para se iniciar o processo de experimentação e releitura do choro. Usamos arranjos escritos por ele há mais de 50 anos que soam completamente contemporâneos?, diz Cazes. ?Ele estava realmente muito à frente de todos.? Os shows são no teatro II do CCBB, sempre às terças-feiras, e em dois horários, às 12h30 e às 18h30.Na próxima semana, os convidados vêm de São Paulo. Será a vez do Quatro a Zero, de Campinas, que privilegia compositores do interior de Estado, como Bonfiglio de Oliveira, Nabor Pires Camargo e Laércio de Freitas, cujas obras são pesquisadas pelos músicos. No dia 17, vem a Moderna Tradição, também de São Paulo, com clássicos de Pixinguinha, Jacob do Bandolim e Garoto. Cria da Lapa carioca, o Tira Poeira fecha o ciclo no dia 3 de março (a série faz pausa para o carnaval), com seu choro ?misturado? (que se deve à formação eclética de seus cinco integrantes, egressos do clássico, samba e jazz). Vão de Benedita Lacerda, Waldir Azevedo e Ernesto Nazareth, entre outros. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.