CBS dá nova chance a Britney Spears no horário nobre da TV

Canal confirma retorno da cantora ao programa 'How I Met your Mother', como uma atrevida assistente

Reuters,

29 de abril de 2008 | 13h18

A quem se perguntava se a cantora pop Britney Spears poderia retornar à televisão norte-americana no horário nobre, a resposta foi dada na segunda-feira, 28, pelo canal CBS. Semanas depois de receber boas críticas como convidada da sitcom How I Met your Mother, Britney vai retornar ao programa no dia 12 de maio, como Abby, uma atrevida assistente de escritório. Uma porta-voz do canal disse que o episódio será filmado nesta semana, em Los Angeles. Em sua estréia na série, no dia 24 de março, a personagem de Britney se apaixonou pelo protagonista, Ted (Josh Radnor), mas terminou brava porque ele começou a namorar a chefe dela. No novo episódio, Abby tenta se vingar de Ted ao se relacionar com seu desafeto, Barney (Neil Patrick Harris), que faz uma "surpreendente pergunta a Abby", de acordo com a sinopse do capítulo dada pela CBS. A primeira aparição da cantora, no mês passado, rendeu 10,6 milhões de espectadores à série. A audiência média do programa é de 8,1 milhões. A maior parte das críticas foi positiva, mudando o tom das manchetes dadas recentemente à cantora, que tem tido problemas pessoais bastante divulgados nos últimos anos. Britney, de 26 anos, ficou famosa como estrela adolescente, lançando uma série de sucessos. Em 2002, ela foi eleita pela revista Forbes a maior celebridade do mundo, depois de arrecadar US$ 39,2 milhões (aproximadamento R$ 67 milhões)em um ano. Mas sua sorte mudou quando se divorciou de Kevin Federline, em 2006. Ela passou por clínicas de reabilitação, perdeu a guarda dos filhos e foi hospitalizada por questões psiquiátricas. Porém, nos últimos meses, sua vida parece ter voltado a melhorar. A aparição de Britney em How I Met Your Mother lançou especulações sobre uma possível carreira de atriz. Ela também foi convidada da série Will & Grace, em 2006.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.