CBL elege novo presidente amanhã

A Câmara Brasileira do Livro elege amanhã seu novo presidente. Duas chapas se inscreveram para substituir Raul Wasserman na presidência da entidade que congrega as editoras de livro e organiza a Bienal do Livro de São Paulo. Um delas tem o apoio do atual presidente e é encabeçada por José Henrique Grossi, proprietário da Grossi Representações, uma distribuidora de livros. A outra, de oposição, tem como candidato a presidente o livreiro Oswaldo Siciliano, proprietário da rede de livrarias que leva seu nome e da editora Siciliano. O mandato de presidente da CBL dura dois anos. Raul Wasserman exerceu dois mandatos em virtude de ter sido reeleito. A urna para votação dos associados estará aberta das 9 até as 17 horas desta quarta-feira, na sede da CBL, na rua Cristiano Viana, 91, Pinheiros. A novidade deste ano é que haverá uma urna no Rio de Janeiro para recolher os votos dos associados daquela cidade. A urna do Rio ficará na sede do Sindicato Nacional dos Editores de Livro (Av. Rio Branco, 37, salas 1504 e 1510 e 1512, telefone (21) ?2233-6481). A apuração dos votos começa logo que as urnas forem fechadas. A previsão é de que o resultado da eleição seja conhecido antes das 20 horas. O novo presidente e a nova diretoria da CBL vão tomar posse amanhã mesmo.

Agencia Estado,

25 de fevereiro de 2003 | 16h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.