Europa Filmes
Europa Filmes
Imagem João Wady Cury
Colunista
João Wady Cury
Palco, plateia e coxia
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Caverna.club: Troca-se Pollock por Rubens

A imagem de Harry Dean Stanton, em Paris, Texas, de Wim Wenders, é sugestiva. Andando pelo deserto, nos trilhos do trem, sem eira nem beira, é o símbolo de quem desistiu e ainda assim segue

João Wady Cury, O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2020 | 03h00

Largar para trás a vida construída e sair andando pelas ruas como se houvesse liberdade possível. Seguir a canção, sem lenço e sem documento, haja vento ou não, num impulso irracional ou mesmo premeditado. Algo como o abandono daquele quadro pintado na adolescência com sonhos e desejos, imaginando ter criado algo próximo aos traços de um pintor flamengo do século 16. Um Rubens, quem sabe. Ao acordar, descobre-se um quase Jackson Pollock numa folha de sulfite.

SAMBANDO NOS TRILHOS 

Poderia ser pior. A imagem de Harry Dean Stanton, em Paris, Texas, de Wim Wenders, é sugestiva. Andando pelo deserto, nos trilhos do trem, sem eira nem beira, é o símbolo de quem desistiu e ainda assim segue. Como diria o delegado, o elemento partiu para destino incerto e não sabido. Como sua parceira no road movie, Nastassja Kinski. Ambos deixaram suas vidas pregressas depois de entrelaçadas, dois amorzinhos. De um outro jeito, Meryl Streep e Jack Nicholson em Ironweed, de Babenco. E Casablanca, claro. Na AppleTV por míseros US$ 4. Cada um, é claro. Chorar e sofrer não pode ser tão barato.

 

CALCULA, CALCULADORA 

Mudar de lugar, trocar o que chamam de pertencimento geográfico pode ser mais fácil hoje do que há 100 anos. A boa e maldita internet ajuda. Sim, ajuda a atrapalhar de tanta informação. Saber demais apodrece as ideias, forasteiro. Tome-se essa belezura chamada Numbeo. Calcula o custo de vida nas cidades: o quilo do frango, um solar de 80 metros quadrados, um pezinho de alface. A vida em números, que horror. Mas é boa referência para saber se melhor seguir a turba insana para Portugal, tadinho dele, ou se para recomeçar a pintar seu Pollock do mundo bizarro, é melhor ir a Mogi das Cruzes. numbeo.com 

 

HUMANOS INVISÍVEIS 

Expastisan tem a mesma mecânica que o Numbeo – que nomes são esses? Humanos, como tu, ou quase, recheiam aquelas bodegas com informações. O tal do sistema arranja o enrosco. Gabam-se de ter milhares de colaboradores e milhares de cidades para serem comparadas. Na dúvida, antes de estabacar-se de empolgação, leia Cidades Invisíveis, do senhor Calvino, para entender de que se trata a vida e o mundo. Gente não, é outra matéria. Tente a Bíblia, essa magnífica obra de ficção, cheia de amor e fúria. expatistan.com 

É JORNALISTA E ESCRITOR, AUTOR DO INFANTIL ‘ZIIIM’ E DE ‘ENQUANTO ELES CHORAM, EU VENDO LENÇOS’

Tudo o que sabemos sobre:
cultura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.