Imagem João Wady Cury
Colunista
João Wady Cury
Palco, plateia e coxia
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Caverna.club: No aquário da Art Basel

Em um dia como este há muito o que comemorar: nasceram Hans Christian Andersen e Emile Zola. E Ludwig, o van Beethoven, estreava a sua 1.ª sinfonia em Viena

João Wady Cury, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2020 | 03h00

A Art Basel prepara a van virtual hoje para um mergulho em seu aquário, se é que você me entende. Mas em um dia como este há muito o que comemorar: nasceram Hans Christian Andersen e Emile Zola. E Ludwig, o van Beethoven, estreava a sua 1.ª sinfonia em Viena. O 2 de abril não é só de literatura e música. É também ao talentoso britânico Alec Guinness - não, ele não criou a marca de cerveja. Ator de filmes memoráveis como A Ponte do Rio Kwai, pelo qual ganhou Oscar, Guinness imortalizou a impossibilidade: um mordomo cego dando ordens a uma cozinheira surda em Assassinato por Morte, de Neil Simon. Está na AppleTV por 20 mangos.


 

EM CÃIBRA PRA TODOS 

A obra de Philippe Carreno  é uma das que a Art Basel colocou na internet já que seus corredores reais ficaram interditados por conta do vírus. A edição deste ano, na melhor das hipóteses, será em setembro - já agendada para o período de 15 a 20. A saída foi apelar para o melhor dos artifícios: o Online Viewing Rooms. Assim a mostra de artistas que seria exibida na Art Basel Hong Kong 2020 já foi colocada no ar com números fortes: no total são 235 expositores e mais de 2 mil obras de artistas de cinco continentes. E o melhor: há dicas de artistas e curadores apontando suas obras favoritas. Comece a exercitar os dedos, pois é certo que a cãibra não vai te perdoar. artbasel.com

 

DA SUPERFÍCIE PROFUNDA

Curadores e artistas conversam com o público às terças e quintas ao vivo pelo Instagram da galeria Superfície, sempre às 18 horas. Hoje tem Raphael Fonseca e Arthur Chaves, sobre processo criativo. E na próxima terça, 7, Marta Mestre e Pollyana Quintela falam sobre curadoria em tempos de coronavírus. 

@galeriasuperficie

 

QUINTANA POPSTAR

A obra do gaúcho Mário Quintana é vasta e variada, mas, antes de tudo, o poeta é conhecido pelos poemas melancólicos e de fundo filosófico, alguns tecidos com meiguice. Outros são angústia pura e acidez. Mas o gaúcho é também famoso por ser um frasista de boca cheia. Não há um site que reúna sua obra mas, orgulho nacional, Quintana permeia tudo e todos. Basta uma busca para chegar a algumas de suas pérolas. Como esta: “Não me ajeito com os padres, os críticos e os canudinhos de refresco: não há nada que substitua o sabor da comunicação direta”. Ou ainda: “O domingo é um cachorro escondido debaixo da cama”. pensador.com 

 

3 dicas da diretora de teatro Cristiane Paoli Quito

1. Schaubuhne Berlin

Toda dia uma peça.

schaubuehne.

2. N-1 Edições

Textos de escritores da editora. 

n-1edicoes.org

3. Vivian Villanova

Podcast Vivi Eu Vi, sobre o mundo das artes.

Spotify 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.