Cave du Roi serve almoço ao som de periquitos

No novo Cave du Roi, a cozinha tem muitas qualidades e um ambiente gostoso, no qual o canto de periquitos substitui com vantagem a música ambiente com a qual muitos restaurantes violentam os nossos ouvidos. A cozinha é comandada por Amgad Guergues, um chef egípcio, que trabalhou em vários países e está há dez anos em São Paulo, onde passou por boas casas, como o Bar des Arts. O restaurante fica numa sala lateral de um novo e elegante apart-hotel na Rua Alcides Lourenço da Rocha,uma travessa da Avenida Engenheiro Luiz Carlos Berrini e assume um ar meio formal, com quadros tradicionais a óleo nas paredes, colunas em tom de bordô e móveis antigos, sólidos. Ao fundo do salão, uma espécie de jardim interno, com muito verde mesmo, protegido do sol por toldos. É ali que fica a gaiola com os periquitos australianos bastante agitados, que não param de cantar. O nome veio de um célebre e luxuosíssimo restaurante do Cairo e o cardápio é conciso e atraente. Como muitos restaurantes em apart-hotéis, serve um bufê nos almoços nos dias de semana, com muitas saladas, frios e sempre pratos quentes bem populares: risotos (segunda-feira); paella à valenciana (terça-feira); feijoada (quarta-feira), massas (quinta-feira) e fideuá (uma espécie de paella, com massa no lugar do arroz, sexta-feira). O serviço à la carte é proposto à noite, aos sábados e domingos nos almoços e jantares. Como não pode deixar de ser em São Paulo, o Cave du Roi propõe várias massas que agradaram, principalmente o ravióli aberto dos mares com molho de tomate, salmão, lula e um grande camarão por cima (R$ 19). Camadas de massa verde e branca superpostas com um molho agradável e muitos frutos do mar. Não no mesmo nível, o penne com lingüiça toscana e brócolis (R$ 20). A lingüiça não estava lá essas coisas. Rondelli recheado de ricota, tomate fresco, rúcula e molho de funghi (R$ 19); farfalle com salmão defumado ao molho cremoso (R$ 22) e spaghetti italiano com cubos de filé mignon e polpa de tomate (R$ 19) são outras opções de massas. Um dos melhores pratos do almoço foi o risoto de camarão com palmito fresco (R$ 24). Arroz no ponto, al dente, meio cremoso, com o palmito em tiras bem finas e um grande camarão no ponto, delicioso, por cima. São seis risotos no cardápio, entre os quais o de champanhe e champignons (R$ 20); o risoto à milanesa com funghi (R$ 21); o de salmão com rúcula (R$ 22) e o de bacalhau e tomate fresco (R$ 22). Muito gostosa ainda a moqueca caribenha com pirão, arroz e banana-da-terra (R$ 24). Um filé de peixe, saboroso, no ponto certo, com um molho com bastante pimentão verde e vermelho em tiras por cima, um pirão potente e banana-da-terra cortada em lâminas finas e frita. Outras opções do mar: robalo à espanhola com arroz (R$ 22) e posta de salmão grelhada com molho de gengibre servida com risoto de champanhe (R$ 24). A casa propõe alguns vinhos bem interessantes, notadamente argentinos e chilenos.Cave du Roi - Rua Alcides Lourenço da Rocha, 136, Brooklin, tel. 5112-2509.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.