"Cavalleria Rusticana" reinaugura Palácio das Artes

O Palácio das Artes volta a receber hoje seus visitantes pela porta da frente. Depois de sete meses de obras, o novo saguão de entrada será inaugurado pelo governador Itamar Franco. Outras mudanças também serão apresentadas, como a ampliação da bilheteria e a inauguração do Balcão de Informações Culturais e Turísticas do Palácio das Artes.A entrada que conduz ao foyer do Grande Teatro foi redesenhada pelos arquitetos Álvaro Hardy e Mariza Machado Coelho, de modo a revelar as linhas do traçado original de Oscar Niemeyer para o Grande Teatro. A bilheteria, que foi ampliada, será utilizada também para a venda de ingressos por telefone e para inibir a atuação de cambistas, já que o novo sistema de vendas permite que cada pessoa adquira no máximo seis ingressos. A Fundação Clóvis Salgado presta ainda uma homenagem a dezessete personalidades ou entidades que contribuíram com a instituição. Entre os homenageados estão o governador Itamar Franco, a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e o Grupo Galpão. Na solenidade também serão lançados três novos cartões telefônicos criados pela Telemar para homenagear a Fundação em seu 30o aniversário. Com as obras que inaugura hoje e outras em implantação, o Palácio das Artes pretende consolidar-se como um centro cultural moderno, capaz de oferecer ao visitante pelo menos oito opções de lazer e entretenimento cultural e artístico, em todos os ramos. A previsão da Fundação Clóvis Salgado é que, pelo menos cinco dias por semana, o Palácio das Artes receba em torno de duas mil pessoas em seus eventos simultâneos, além dos 400 alunos que freqüentam diariamente seus espaços. Cavalleria Rusticana - Encerrando a solenidade de inauguração, a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, sob a regência do maestro Holger Kolodziej, o Coral Lírico da Fundação Clóvis Salgado e solistas convidados apresentam a récita inaugural da ópera Cavalleria Rusticana, que fica em cartaz no Grande Teatro do Palácio das Artes até o dia 29. A Cavalleria Rusticana é uma das óperas mais encenadas em todo o mundo, desde sua criação em 1890 por Pietro Mascagni. O espetáculo foi muito exibido em Belo Horizonte entre as décadas de 50 e 70 e volta agora com algumas novidades, como a introdução de vozes infantis e de elementos da cultura mineira.A ópera é baseada na trajetória de Turiddu, um jovem soldado que encontra Lola, sua amada, casada com outro homem quando retorna do serviço militar. Turiddu, consola-se com o amor de Santuzza, mas depois a abandona e volta suas atenções para Lola que, mesmo casada, corresponde ao amor de Turiddu e encoraja-o, mantendo encontros secretos durante a ausência do marido. Participam do espetáculo dois elencos, a cantora Luiza de Moura, e solistas mineiros, como Sebastião Teixeira, Marcos Thadeu, Eduardo Itaborahy, José Carlos Leal, Vânya Soares, Tereza Cançado e Rita Medeiros. Cavalleria Rusticana. De 25 a 29 de agosto, no Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1537 - 0 _ _ 31 2377260). Sexta-feira, sábado, segunda e terça-feira, 21h. Domingo, 19h. Ingressos a R$ 20 no setor I, R$ 15 no setor II e R$ 10 no balcão. Meia para estudantes em todos os setores, com carteiras da UNE, UBES e UCMG.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.