Cauby acorda Frank Sinatra

Nos shows que faz hoje e amanhã, no Teatro Fecap, o músico interpreta canções consagradas por seu ídolo

Lucas Nobile, O Estado de S.Paulo

01 de maio de 2010 | 00h00

Aos 79 anos, Cauby Peixoto está inquieto e com vontade de gravar um disco de jazz. Mas o gênero esmerilhado pelos mestres americanos, no melhor sentido, ainda só faz parte de planos para um álbum do cantor brasileiro. Hoje e amanhã, muitas senhoras resgatarão a melhor roupa do armário para se aboletar nas poltronas do Teatro Fecap, na Liberdade, com o sonho de ouvir Conceição pela enésima vez. Sem chance, o repertório de um dos maiores crooners do País de todos os tempos homenageia um só nome: Frank Sinatra.

Questão de coerência. Ninguém no Brasil tem mais gabarito para interpretar os clássicos que fizeram sucesso na voz de Sinatra como Cauby Peixoto, nem mesmo Roberto Carlos. Mesmo antes de passar dois anos nos Estados Unidos e deitar nos braços do sucesso com I Go (versão para Maracangalha), o cantor brasileiro nascido em Niterói já atacava na noite com Strangers In The Night (Bert Kaempfert/ Singleton/ Snyder) e Night and Day (Cole Porter), eternizadas por Sinatra. "Eu sempre tive ouvido para cantar como um papagaio, apenas repetia as palavras, e era um sucesso na época. Hoje, a gravadora me permitiu gravar Sinatra porque o povo gosta, aplaude muito. Tive um professor de inglês ao meu lado, me ensinando as palavras mais difíceis de assimilar. Estou muito feliz, vibrei muito nos ensaios porque me convenci de que é um show que está muito bonito para se fazer", diz Cauby.

Para tentar reproduzir a antologia de The Voice (A Voz), só desta maneira. Justamente porque a maior virtude de Sinatra, sem contar o fato de ter nascido com um timbre fabuloso para os graves, era sua dicção perfeita e um fraseado extremamente límpido e seguro para milhões de ouvintes. A familiaridade com o repertório também conta demais. E, no caso de Cauby, vem de décadas. Em 1995, ele gravou Cauby Canta Sinatra - mesmo nome do show de hoje - com algumas versões em português. Desta vez serão apresentações com um repertório em inglês, com variações de arranjos em relação aos registros originais. E um novo disco de Cauby cantando Sinatra, já que os shows serão gravados e lançados em CD e DVD pelo selo Lua Music.

Acompanhado de oito músicos, Cauby desfilará 15 sucessos na voz do cantor americano (veja ao lado), com espaço para apenas uma composição brasileira, Triste (Tom Jobim), gravada por Sinatra em 1969, com arranjo de Eumir Deodato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.