Cássio Gabus vive personagem gay

O estilista Selmo de Windsor vivido pelo ator Daniel Dantas passou dessa para a melhor. Com um curso marcado na Faculdade de Estilismo de Laila, personagem de Christiane Torloni, os espertos personagens de Cássio Gabus Mendes, que faz Paulinho, e de Bel Kutner, Lulo, não titubearam em assumir a identidade do defunto e voltar para o Brasil em busca de uma vida nova. Há uma semana, Cássio já pode ser visto em Um Anjo Caiu do Céu, pela Globo, cercado de muita purpurina - no sentido figurado da coisa - pelo simples fato de fingir ser gay para ganhar a vida. Mas no fundo, o visual moderno e a voz afeminada escondem um homem que em breve vai se apaixonar pela amargurada Virgínia, vivida por Deborah Evelyn. Não é a primeira vez que Cássio entra no mundo da moda por intermédio de um personagem. Em Ti-Ti-Ti ele era ninguém menos que o filho do falso estilista espanhol Victor Valentin (Luís Gustavo), rival eterno de André Spina (Reginaldo Faria). "Não é muito o meu universo, mas admiro quem trabalha com isso. Meu contato com a moda foi só nas novelas, nada profissional", esclarece.Sua última novela foi A Indomada, mas o ator está longe da tevê desde o fim do seriado Mulher, no qual interpretava Afrânio, o implicante diretor da clínica. "Era uma produção com um acabamento especial. No primeiro ano foi todo rodado em película, e no segundo recebeu um tratamento digital. Foram dois anos que deixarão saudades", diz ele, sem esconder o carinho pela produção.Hoje, na novela de Antônio Calmon, ele aproveita para recordar momentos importantes de sua carreira ao lado do diretor Dênis Carvalho. "O Dênis é um grande amigo, e juntos já fizemos trabalhos realmente significativos, seja como ator ou diretor", afirma. Entre os principais, Cássio destaca a atuação da dupla na novela Brega e Chique, como os marceneiros Baltazar e Bruno. "Até hoje tem gente que lembra disso", espanta-se. Depois vieram a novela Vale Tudo e a minissérie Anos Rebeldes, programas em que atuou e Carvalho dirigiu.Sobre seu personagem gay -responsável por boa parte das cenas de humor na novela - ele é categórico. "Concordo que é um personagem humorístico, mas com uma diferença: ele entra em conflito com seu passado e com o futuro", analisa. "Às vezes, ele não se conforma em ter de usar aquelas roupas, agir daquela forma. E tudo vai piorar quando ele se apaixonar de verdade, e não puder expressar isso." Paralelo à novela, Cássio já tem planos de um novo projeto no teatro para o segundo semestre. "Ainda não posso confirmar nada, mas garanto que vem coisa nova lá pelo mês de setembro", esquiva-se.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.