"Casseta e Planeta" volta com equipe completa

Mamãe coruja assumida, Maria Paula, a apresentadora do Casseta e Planeta Urgente! pouco lembra a garota irreverente que, há pouco tempo, colecionava namorados bonitões. "Minha vida pessoal sempre foi o assunto preferido dos cassetas. Eles queriam saber sobre o fim de semana, perguntavam com quem eu havia saído. Agora me dizem: ´Mamãe, bem-vinda ao mundo dos bundões Casseta e Planeta´.Maria Paula falou ao JT sobre o fim das férias do Casseta e Planeta Urgente!, que volta para a grade de programação da emissora hoje, após a novela América. Para a apresentadora, o retorno do programa tem um significado especial: em 2004 ela passou quatro meses afastada por conta da licença-maternidade. Seu posto, na ocasião, foi ocupado por Luana Piovani. "Normalmente eu sentiria ciúmes, mas acabei gostando do trabalho da Luana. Ela é uma mulher de opinião. Para o meu ego também foi ótimo. Afinal, ser substituída por um mulherão daquele faz bem para a imagem de qualquer um."Após 12 anos de Globo, não pensa em ter um espaço maior, talvez uma atração individual? Já pensei sobre isso. E descobri que estou exatamente onde quero estar. A aceitação do Casseta e Planeta é imensa: vai da dondoca ao gari. A Band já me ofereceu grana alta e microfone na mão todos os dias. Pensei, pensei e não fui. Nem todo o dinheiro do mundo me daria a alegria que sinto por trabalhar com os cassetas. Posso falar mal do presidente em horário nobre e ele ainda dá risada. Sabe o que significa? É melhor do que milhões de dólares e capas de revista. Sei que já poderia ter acumulado mais dinheiro, mas não sou ambiciosa. Foi por isso que você recusou vários convites da Playboy? A Playboy me tentou várias vezes, com muito dinheiro. Hoje eu sofreria muito se tivesse concordado em comercializar o sex appeal. Os cassetas tiveram muita paciência comigo. Tive a Maria Luíza e não precisei emagrecer correndo para ficar gostosona logo. Eu não queria fazer uma dieta radical por causa da amamentação. O resultado está aí: nem gripe minha filha teve. Quero o direito de envelhecer tranqüila. Não posso gastar minha vida em função de uma barriga sarada ou de um bíceps definido. Quando as piadas eram com sua sogra, foi constrangedor? Vivo em um mundo de duplo sentido. Os rapazes fazem piada sobre tudo e sempre entrei na brincadeira. Seria ridículo se eu boicotasse uma piada só porque o alvo era a minha sogra. Acho até que me pouparam, já que era o Madureira quem vivia a personagem. No geral, poucas pessoas levam a sério o que a gente faz. Só quem tem rabo preso reclama. Quando falamos de Semelhança (ops, Esperança), fomos podados pelo autor porque a novela não ia bem. O Sérgio Naia até processou o programa por chamá-lo de Sérgio Canáia. O cara fez um prédio que caiu! Não é para rir de um sujeito como esse?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.