Cassandra Clare leva fãs teens à Bienal

Tarde de ontem foi marcada pelo assédio de jovens à autora da série 'Os Instrumentos Mortais', um fenômeno de vendas

JOÃO PAULO CARVALHO, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2014 | 02h05

Cassandra Clare foi o principal nome de ontem, no terceiro dia da Bienal do Livro de SP. Com gritos ensurdecedores de jovens e adolescentes, a escritora, que já vendeu mais de 26 milhões de livros em todo o mundo - 800 mil deles apenas no Brasil - esteve presente no estande de sua editora, a Record, no sábado e no domingo, para sessões de autógrafos.

A presença da norte-americana que já vendeu mais e 25 milhões de livros pelo mundo gerou filas quilométricas no evento desde o início da tarde. Gisele Martim veio da cidade de Jaraguá do Sul, Santa Catarina, e perdeu quatro dias de trabalho para trazer as filhas Gabriela Martim, 13, e Bruna Martim, 10, a Bienal do Livro. "Elas amam a Cassandra. Cheguei aqui à 5h da manhã. Também trabalhei vários sábados seguidos para conseguir folgar e vir com elas. Coisas que só uma mãe poderia fazer. Fico muito feliz que elas estejam adquirindo o hábito da leitura. Espera que seja o começo de muitas outras Bienais", disse.

Os jovens Flavio Vinicius Zumbera, 22, e Mariana Loiola, 14, foram à Bienal caracterizados de dois personagens da saga de Cassandra Clare. "Conheci os livros dela há 5 anos e aprendi a falar inglês apenas para conseguir ler suas obras antes de serem traduzidas para o português. A maior emoção da minha vida aconteceu no sábado, quando Cassandra olhou para mim e disse que eu era o verdadeiro Alec (personagem da saga Os Instrumentos Mortais), afirmou Flavio.

A saga mais famosa de Cassandra Clare, Os Instrumentos Mortais, é composta pelos livros Cidade dos Ossos, Cidade das Cinzas, Cidade de Vidro, Cidade dos Anjos Caídos, Cidade das Almas Perdidas e Cidade do Fogo Celestial. A escritora credita seu sucesso principalmente a personagens como Clary, Jace e Alec.

Cassandra Clare é, na verdade, Judith Rumelt, de 41 anos. Apesar de filha de norte-americanos e de ter feito sua carreira nos Estados Unidos, ela nasceu em Teerã, capital do Irã, em 1973, quando seu pai dava aulas em universidades do país. Na infância, viveu na França, Inglaterra e Suíça.

Tendência teen. Segundo o diretor executivo da Câmara Brasileira do Livro (CBL), Mansur Bassit, a principal característica da Bienal do Livro deste ano é a presença predominante de jovens e adolescentes. "Sem dúvida é o diferencial do evento. É muito gratificante ver essa quantidade de crianças marcando presença. Trata-se, na verdade, de um fenômeno sociológico. O protagonista da Bienal continua sendo o livro, porém em diferentes manifestações artísticas e culturais. O jovem/adulto está lendo mais e isso é importantíssimo", salienta.

Ainda segundo Mansur, autores como Cassandra Clare, Thalita Rebouças e Bruna Vieira tocam, de alguma forma, o coração dos jovens. "Não importa se são best sellers. Esses autores conseguem trazer os adolescentes para a literatura e isso é fascinante. As ferramentas tecnológicas como o livro digital, por exemplo, também ajudam a trazer o jovem para o mundo da literatura".

Tudo o que sabemos sobre:
Bienal do LivroSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.