Casal Crumb lançará livro sobre sua história conjunta

Um dos primeiros convidados a chegarem a Paraty, o cartunista americano Robert Crumb - que participa de mesa no sábado - ficou a terça quase inteira enfiado na pousada. Durante o dia, sua mulher, Aline Kominsky-Crumb, o cartunista Gilbert Shelton e a agente literária Lora Fountain passearam de barco e foram comer frutos do mar, mas o pai do "Mr. Natural" só apareceu à noite na praça central, para tomar um refrigerante.

AE, Agência Estado

05 de agosto de 2010 | 09h40

"Ele estava cansado e sem fome, não está se escondendo", disse ontem a cartunista Aline. "Só está sendo ele mesmo. É um cara doce, legal, mas o fato é que não aguenta mais falar sobre o Gênesis. Faz um ano que responde às mesmas questões." Aline o ajudará a arrumar um novo assunto para fãs e jornalistas no ano que vem, quando sairá o livro em parceria "Drawn Together" (com dois sentidos em inglês, desenhado em conjunto e atraídos um pelo outro). O volume contará a história de amor dos dois, que se conheceram em 1971 e fazem quadrinhos juntos desde 1974, num complexo trabalho a quatro mãos no qual cada um desenha a si próprio.

A obra reunirá histórias feitas em parceria desde aqueles tempos, outras mais recentes, publicadas pela New Yorker (e reproduzidas no Brasil pela piauí), e muito material inédito - Crumb não quer mais ver seu trabalho na New Yorker, embora a revista insista em pedir material. "Ele está muito zangado com eles", conta Aline. No ano passado, um editor da publicação pediu ao cartunista que fizesse uma capa sobre casamento, e ele fez uma sobre casamento gay. "Eles nunca usaram a capa. Até aí, tudo bem. Mas o fato é que nunca disseram a razão disso. Ele perguntou muitas, muitas vezes, nunca deram uma resposta. Ele disse: ''Se me dissessem por que não usaram, estaria tudo bem. Mas, se não têm respeito ou coragem suficiente para me falar a verdade...''"

Autobiografia - Embora esteja no Brasil só acompanhando o marido, Aline terá em breve seu primeiro livro por aqui, pela Conrad. Com o nome provisório de "Uma Autobiografia Não-Autorizada", compilará trabalhos de dois títulos dela, "Love That Bunch" (1990) e "Need More Love: A Graphic Memoir" (2007), com textos, cartuns e pinturas. Aline explica que, embora tenha enveredado para os quadrinhos, é originalmente uma pintora, ou uma "professora de arte que deu aulas por um ano só em toda a vida". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
literaturaFlipRobert Crumb

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.