Casa reúne artistas em exposição em SP

Uma exposição como esta você nunca viu. Pelo menos em São Paulo. 1º de Abril - April Fool´s Day acontece dentro de uma casa e dura apenas um fim de semana. O vernissage é amanhã, das 19h à 0h, na Vila Romana (R. Mário, 25). Termina na tarde do domingo, o "dia da mentira". São 32 artistas, a maioria nunca vistos em SP. "A mostra fica em cartaz só no sábado à noite e domingo à tarde, já que a arte deve estar mais próxima do prazer do fim de semana que da pressão dos dias úteis", diz Érika Versutti, uma das idealizadoras do evento. "A idéia", explica Tonico Lemos, artista paulistano radicado em Londres e dono da residência-ateliê transformada em galeria, "é trazer os trabalhos de arte para uma dimensão mais doméstica, íntima, além de tornar mais dinâmica a relação do público com o espaço". Segundo ele, o formato das galerias e museus contribui para um hermetismo das obras de arte, e o público ainda se intimida com estes ambientes. "Queremos que as pessoas entrem numa casa comum, de bairro, e ali deparem com os trabalhos. Que elas cheguem com curiosidade, para tentar entender o que está acontecendo ali", diz o artista. Para ele, esse tipo de atitude não precisa partir só dos artistas. "Os museus e galerias deveriam investir em ações mais ousadas. Expor num conjunto habitacional no Tatuapé, por exemplo, realizar mostras num salão de beleza... enfim, mostrar-se atuante em lugares inusitados." Tonico avisa que 1º de Abril não quer levantar nenhuma bandeira anti-institucional. "Será tudo envolvido num clima relaxado, generoso. Senão seria hipocrisia, já que a intenção é dinamizar o circuito, que não prescinde das galerias e museus", pondera ele, que integra o staff da Thomas Cohn. "É simplesmente trazer um despojamento maior, uma tentativa de levar a arte para a vida real." Os artistas ocupam terreno de 500 m2 (120 m2 de área construída). Há obras no quarto de Tonico, na lavanderia e na cozinha, no telhado e numa laje. "O jogo aqui é encarar o espaço doméstico como lugar de exposição validado pela qualidade das obras", diz Érika. "1º de Abril é uma provocação bem intencionada, como os truques de `enganar um bobo´ que aproximam as pessoas e proporcionam boas risadas." Este caráter lúdico pode ser vivenciado na performance de Raquel Garbelotti, em parceria inédita com DJ Erico e MC Gaspar. O trio se apropriou da garagem e, numa instalação que usa luz, imagem em vídeo e som, "toca" o resultado de uma pesquisa com sobras de brinquedos - como o som de trenzinhos de ferro e risadas de bonecos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.