"Casa dos Artistas": despejo à vista

Supla pode vir a ser despejado pela mãe. A frase, sensacionalista, poderá se concretizar hoje, quando um fiscal da Prefeitura, com uma ordem da Administração Regional do Campo Limpo, bater na porta da casa na Rua Antônio Andrade Rabelo, no Morumbi, locação de Casa dos Artistas, do SBT. O programa é a mais nova mina de ouro de Silvio Santos, que vem batendo a audiência do Fantástico aos domingos (ontem, 36 contra 29) e alcançando média de 20 pontos nos demais dias da semana."Ontem assinamos uma ordem pedindo a desativação do estúdio clandestino imediatamente", diz Eliane Belford, chefe de gabinete da Administração Regional do Campo Limpo. No endereço, repleto de antenas e parabólicas, funciona uma espécie de ponto do SBT que grava e leva ao ar todas as noite as peripécias das personalidades enclausuradas lá desde domingo passado. E o cantor Supla, o filho da prefeita Marta Suplicy, é um dos personagens da vida real preferidos pelo público. "Não importa se dentro da casa tem parentes da prefeita. Estamos cumprindo a lei, como nos outros casos", diz Eliane. Alheia ao impasse, Marta Suplicy segue em viagem no exterior. Ela está na Itália desde o fim da semana passada. Mesmo o processo correndo há quase um mês na Administração Regional, a assessoria de imprensa garante que a prefeita ainda não sabe que o endereço provisório do filho está em desacordo com as leis do município.O processo administrativo é fruto de mais uma batalha da polêmica atração que, além da Globo, conseguiu outra oposição de peso: os vizinhos. No dia 11 de outubro, o morador Hassib Naster, 78 anos, empresário, entrou com a ação na Administração Regional do Campo Limpo. Segundo as normas do termo administrativo 10.250 de 1986, lugares residenciais não podem ser utilizados para outros fins sem prévia autorização. "A produção já pagou uma multa de R$ 107 no início de outubro. Agora, vai arcar com mais R$ 2.687", diz Eliane. "Vamos esperar um ou dois dias. Se mesmo com os papéis em mãos eles continuarem com o estúdio no Morumbi, vamos fazer outra notificação e desta vez acionar a Polícia Militar para que eles sejam expulsos do local", avisa a funcionária pública. Mas a desocupação "na marra" não ocorre imediatamente. Como se trata do envolvimento com outra instituição, ligada ao governo do Estado, o dia, hora e como será feita essa desocupação vai depender da Polícia Militar, e não da Prefeitura de São Paulo. E, mais uma vez, Silvio Santos poderia apelar para a boa vontade do governador Geraldo Alckimin, para que o estúdio seja desativado daqui a 36 dias, após o último episódio de Casa dos Artistas. Segundo a produção do programa, a atração segue no mesmo lugar "até segunda ordem".Enquanto estuda como lidar com o processo da Prefeitura, o SBT se prepara para o terceiro round da batalha contra a Globo. Nesta quinta-feira, a 5.ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo vai se reunir novamente para estudar o processo movido pela Globo. Nele, Casa dos Artistas é acusada de ser um plágio de Big Brother, programa comprado pela emissora de Roberto Marinho. E é possível que, mais uma vez, a atração tenha de sair do ar. No domingo, a briga pelo Ibope voltou a esquentar. Exibido sem intervalos comerciais das 20h48 às 22h05, Casa dos Artistas teve pico de audiência de 43 pontos. No mesmo horário, a Globo marcou 26 pontos. Cada ponto representa 44 mil domicílios na Grande São Paulo. Na média, o programa do SBT conquistou 37 pontos, contra 29 da Globo, que exibia nesta mesma hora o Fantástico. Enquanto o Fantástico apelava para Mister M. e a eleição da musa de No Limite para caçar telespectadores, o SBT atacava com a definição da primeira baixa no Casa, em uma escolha repleta de humilhações.A modelo Alessandra Scattena foi a primeira "vítima", desclassificada em votação prévia feita pelos 12 integrantes do programa e endossada por 20 telespectadores. "Hoje ela está feliz com os vários telefonemas de amigos e familiares. Está também mais tranquila", diz Rogério Gherbali, marido e empresário da modelo. E completa: "Mas na hora foi um horror! As acusações de que minha mulher era calculista e sedutora pegaram pesado."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.