Casa de leilões Christie’s registra vendas recordes de arte no 1º semestre

A casa de leilões Christie’s registrou vendas recordes de arte contemporânea para o período de janeiro a junho, ajudando a levar as vendas totais para 2,69 bilhões de libras (4,6 bilhões de dólares), incluindo um quadro de Picasso e outros 51 trabalhos que custaram 10 milhões de dólares ou mais.

REUTERS

16 de julho de 2014 | 12h21

As vendas cresceram 12 por cento durante o primeiro semestre, na comparação com o mesmo período de 2013. Entre as principais vendas estava a obra “Nymphea”, de Monet, que foi vendida em Nova York por 27 milhões de dólares em maio e, no mesmo leilão, também foi arrematado o “Retrato de Mulher (Dora Maar)”, de Picasso, que saiu por 22,6 milhões de dólares, incluindo comissões.

Em Londres, o “Retrato de George Dyer Falando”, de Francis Bacon, foi vendido por 42,2 milhões de libras em fevereiro, e um ovo do artista norte-americano Jeff Koons foi arrematado por 14,1 milhões de libras.

A Christie’s disse nesta quarta-feira que 24 por cento de todos os comprados no primeiro semestre eram novos para a casa. A empresa também registrou uma alta de 70 por cento na atividade online.

“O engajamento digital e novos compradores chegando ao mercado têm continuado a impulsionar o crescimento; novos clientes representaram 24 por cento de todos os comprados e 15 por cento das vendas totais no primeiro semestre de 2014”, disse a Christie’s.

A casa de leilões disse estar abrindo um novo escritório em Xangai em outubro e novas galerias no Rockefeller Center, em Nova York, em novembro, para manter o ritmo da crescente demanda.

(Por Michael Roddy)

Tudo o que sabemos sobre:
ARTELEILOESRECORDE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.