Casa de chá em Cingapura confere novo luxo à bebid tradicional

Que tal uma xícara de chá? Na únicabutique e casa de chá de luxo de Cingapura, opções não faltam:ela oferece 600 misturas aromáticas, desde variedades clássicasdo "breakfast tea" (chá preto forte para tomar no desjejum) atéraras variedades amarelas. Situado num moderno shopping no centro de Cingapura, o TWGTea é uma casa de chá em estilo parisiense, com lustres decristal, lambris de madeira e espelhos dourados. Mas as semelhanças coloniais européias terminam ali. O presidente do conselho da empresa, Manoj Murjani, diz quea TWG Tea é uma firma asiática que quer levar para a região queproduz a maior parte do chá consumido no mundo uma versão deluxo dessa bebida onipresente. "Os maiores países produtores de chá são asiáticos, mas nãoexiste uma marca de luxo da região", disse à Reuters Murjani,executivo que ajudou a criar a grife americana Tommy Hilfiger ese especializa em consolidar marcas de renome. "A TWG Tea é essa marca asiática para a Ásia e para omundo." Com multidões de novos ricos surgindo na Índia e na China,e com mais ricos em Cingapura interessados em gastar comprodutos de luxo, a TWG diz que o momento atual é propício paratrabalhar na Ásia. Tudo na casa de chá, desde as xícaras e os bules artesanaisaté a enorme gama de chás em folha e doces e pratos contendochá, foi criado especialmente para a TWG Tea. A empresa mantém acordos de exclusividade com plantaçõesseletas de chá em todo o mundo, e seus funcionários usamingredientes naturais como especiarias, flores e frutos paracriar novas misturas. "Achamos que era hora de o chá evoluir, de ser não apenas abebida desfrutada por nossos avós mas também uma bebida chiquee requintada para um público jovem", disse o presidente dafirma, Taha Bouqdib. "Também queremos que a TWG Tea seja uma escola mundial dechá -- um lugar onde se pode aprender tudo o que existe para sesaber sobre chá", ele acrescentou. Como fariam sommeliers, os funcionários da TWG Tea oferecemao olfato dos fregueses latas metálicas de chás com nomes como"Camelot", "Miraculous Mandarin" e "Amour de The", perfumadoscom rosas ou acrescidos de gotas de ouro. A casa também serve chás pretos não perfumados, comoDarjeeling e Ceylon, além de chás verdes, brancos e o raro cháamarelo, criado por um processo secreto de tostagem das folhascolhidas apenas uma vez por ano de plantações em duasprovíncias chinesas. "Um quilo de chá amarelo é vendido no varejo por entre 800e 3.000 dólares", disse Bouqdib. "É nosso produto mais caro." Além da Ásia, a empresa pretende abrir filiais em Dubai e,eventualmente, Estados Unidos e Europa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.