Manuel H. de León/Efe
Manuel H. de León/Efe

Cartunista Antonio Mingote morre aos 93 anos

Obra do artista espanhol era reconhecida pela reflexão sobre a política e a vida cotidiana

Com informações da Efe

03 Abril 2012 | 16h49

O escritor e cartunista Antonio Mingote, um dos maiores intelectuais espanhóis do século XX, morreu nesta terça, 03, aos 93 anos em Madri. A informação é do jornal ABC onde o artista trabalhou nas últimas seis décadas comentando, por meio de seus desenhos, as mudanças políticas e sociais da Espanha.

Em nome da Real Acadêmia Espanhola (RAE), o diretor José Manuel Blecua comunicou o pesar dos acadêmicos pela morte do companheiro que desde 1987 ocupava cadeira na instituição. Personalidades da política e do jornalismo também expressaram suas condolências pelo falecimento de Mingote, cujo corpo será velado até amanhã e depois cremado em cerimônia privada para familiares.

Antonio Mingote nasceu em Sitges, na Catalunha, em 1919. Começou a carreira nos anos quarenta na revista satírica The Quail e em 1953 virou colaborador do jornal ABC. Também escreveu livros de ficção, como Las palmeras de cartón e Hombre solo, Hombre tranquilo. No final do ano passado, se tornou nobre ao receber do rei espanhol Juan Carlos I o título de Marquês de Daroca.

Mais conteúdo sobre:
Antônio Mingote

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.