Carta de João Cabral para Clarice

Sevilha, 6.2.957 (...) Quem foi o errado que foi contra A Veia no Pulso? Acho que v. não deve mudar, absolutamente. Em 1.º lugar porque veia no pulso não é, como v. diz, a mesma coisa; em 2.º, porque A veia não é absolutamente cacófato. Cacófato é o som ridículo ou feio. ?A veia?, no máximo pode parecer ambíguo, o que não é a mesma coisa. Mas a ambigüidade não é motivo para tirar e sim para deixar. E mesmo que ambigüidade é essa? Se o nome do livro fosse Aveia no Pulso, ainda se poderia criticar sob o ponto de vista de ser ambíguo ou causador de mal-entendido. Mas o nome é ?A veia?, isto é; a coisa mesma que há no pulso e portanto não há por que mudar nada. Se na língua falada fôssemos criticar todos os sentidos duplos provocados pelo artigo ou pela preposição ?a? teríamos de ficar calados. Por outro lado, só um idiota, ouvindo A/ VEIA NO PULSO pode entender Aveia no pulso (...). E a língua é só para ser ouvida? (...)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.