Henry Nicholls/Reuters
Henry Nicholls/Reuters

Carta de 1929 em que Winston Churchill considera desistir da política será leiloada

No documento, ex-primeiro-ministro se refere à Câmara britânica como seu 'teatro'

Ben Makori e Angus MacSwan, Reuters

08 de setembro de 2021 | 05h00

Uma carta de 1929 na qual o ex-primeiro-ministro britânico Winston Churchill (1874-1965) se refere à Câmara britânica como seu “teatro”, mas considera desistir da política, será leiloada em Londres na próxima semana.

Na carta datilografada a seu amigo Sir Frederick Ponsonby, o então futuro primeiro-ministro do Reino Unido escreveu sobre buscar ocupações “mais agradáveis e lucrativas” do que ser membro do Parlamento.

Meses antes, em maio de 1929, os conservadores perderam o poder em uma eleição e foram substituídos por um governo de minoria trabalhista, embora Churchill tenha mantido sua cadeira como membro do Parlamento por Epping.

“Na carta, é possível notar que Churchill está pensando em seus próximos passos”, disse Matthew Haley, chefe de livros e manuscritos da casa de leilões Bonham.

“Ele está prestes a embarcar em uma turnê pela América, um ótimo feriado com a família, e escreve para seu grande amigo Ponsonby dizendo que ‘a Câmara dos Comuns sempre foi meu teatro’. Portanto, ele ainda não desistiu da política.”

Muitos historiadores veem a década entre 1929 e 1939 como os “anos selvagens” de Churchill, embora ele tenha permanecido envolvido em várias questões, incluindo a Índia e a ameaça de Adolf Hitler - que assume o comando da Alemanha em 1933 -, antes de se tornar primeiro-ministro britânico em 1940.

Ele escreveu a carta em 8 de agosto de 1929, durante uma travessia transatlântica que fez após um debate no Parlamento.

Tudo o que sabemos sobre:
Winston Churchillleilão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.