'Carpe diem' na sociedade dos poetas

As Namoradas do Papai

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

13 de outubro de 2010 | 00h00

15H35 NA GLOBO

(It Takes Two). EUA, 1995. Direção

de Andy Tennant, com Kirstie Alley, Steve Guttenberg, Mary-Kate Olsen, Ashley Olsen, Philip Bosco.

O melhor filme das gêmeas Mary-Kate e Ashley Olsen, mas é bom que o espectador não se predisponha a esperar demais desta livre adaptação de O Príncipe e o Mendigo, de Mark Twain. Elas fazem garotas que trocam de identidade para se ajudar mutuamente. A herdeira quer impedir que seu pai milionário se case com cavadora de ouro. A órfã tenta impedir que a assistente social, sua amiga, seja deletada do orfanato. Adivinhe se papai (Steve Guttenberg) não vai cair de amores pela assistente (Kirstie Alley). O diretor Tennant faz filmes simpáticos, numa linha de divertimento familiar. Fez uma Cinderela com Drew Barrymore, o remake de O Rei e Eu com Jodie Foster. Tudo bem honesto, senão grande. Reprise, colorido, 101 min.

Vermelho Como o Céu

22 H NA CULTURA

(Rosso Come Il Cielo). Italia, 2006.

Direção de Cristiano Bortone, com Luca Capriotti, Patrizia La Fonte,

Paolo Sassanelli.

Mais um programa da Mostra na TV. Garoto cego precisa superar não apenas sua deficiência, mas também o preconceito dos que tentam ajudá-lo, para mostrar do que é capaz. Um programa importante, baseado na história real de Mirco Mencacci, que virou simplesmente um dos maiores editores de som, do cinema italiano. Reprise, colorido, 96 min.

Encontro às Escuras

22 H NA REDE BRASIL

(Blind Dating). EUA, 2006. Direção de James Keach, com Chris Pine, Anjali Jay, Steve Wellington, Frank Gerrish, Eddie Kaye Thomas.

Outra história de garoto cego, agora um adolescente louco para perder a virgindade. Seu irmão lhe arranja os encontros do título, que nunca dão certo, porque ambos não conseguem intuir - ver? - o básico, o efeito que o protagonistas causa nas mulheres ao redor. Outra comédia que pode ser interessante, confira. Reprise, colorido, 103 min.

Intercine

2H15 NA GLOBO

A emissora exibe o preferido do público entre as seguintes opções - Quatro Mulheres e Um Destino, de Jonathan Kaplan, com Madeleine Stowe, Mary Stuart Masterson, Andie MacDowell e Drew Barrymore, como pistoleiras que pegam em armas para colocar ordem no Velho Oeste; e Fuga Mortal, de Vic Armstrong, com Dolph Lundgren como ex-corredor que agora transporta carros de luxo roubados; vítima de uma cilada que lhe armam na estrada, ele é acusado da morte de um patrulheiro e do seu copiloto, mas adivinhem se o herói não bate e arrebenta. A pergunta que não quer calar: o que George Segal, tão bom ator, e um astro nos anos 1960/70, faz em produção tão mediana, para não dizer coisa pior?

Amanhã

A Globo exibe amanhã, no Intercine, o preferido do público entre - Um Sonho Americano, de Renee Chabria, com John Leguizamo, Ana Claudia Talancon, Elizabeth Pena e Nestor Serrano, um bom elenco desperdiçado na história de músico mexicano que atravessa a fronteira e vai para Los Angeles, disposto a virar um astro (EUA, 2005, fone 0800-70-9011); e Extermínio 2, de Juan Carlos Fresnadillo, com Robert Carlyle, Rose Byrne, Jeremy Renner, Harold Perrineau e Catherine McCormack, segundo da série iniciada por Danny Boyle; desta vez, a epidemia parece controlada e o vírus extinto, mas o pesadelo recomeça quando militares dos EUA vão ajudar seus amigos ingleses (Inglaterra/Espanha, 2007, fone 0800-70-9012).

TV Paga

Sociedade dos Poetas Mortos

3HO5 NO HB2

(Dead Poets Society). EUA, 1989. Direção de Peter Weir, com Robin Williams, Robert Sean Leonard, Ethan Hawke, John Charles, Kurtwood Smith.

Longe de ser uma unanimidade, este filme virou cult de uma geração. Robin Williams faz o professor de inglês que se vale das aulas de poesia para inspirar seus jovens alunos influenciáveis. "Carpe diem", ele ensina. Curtam seu dia, vivam cada um deles com intensidade, como se fosse único (ou o último). O resultado escapa ao controle. Williams e seus jovens atores são ótimos. O australiano Weir virou especialista em tornar palatáveis temas espinhosos. Reprise, colorido, 128 min.

CORREÇÃO

Uma confusão de horários fez com que esta seção apresentasse como sendo exibidos ontem filmes que passam hoje.

Equus, de Sidney Lumet, com Richard Burton como um psicanalista mais perturbado do que seu paciente, um jovem que cegou os cavalos no estábulo em que trabalhava. 19h30 no Telecine Cult.

Gente Como a Gente, de Robert Redford, vencedor dos Oscars de melhor filme, diretor, roteiro adaptado e ator coadjuvante (Timothy Hutton), sobre família que se desintegra quando o preferido da mãe morre num acidente e ela (Mary Tyler Moore, extraordinária) preferiria que o outro filho tivesse morrido. 22 horas, no Telecine Cult.

Tony Rome, de Gordon Douglas, com Frank Sinatra na pe-le de detetive particular que investiga família disfuncional. 22 horas, no TCM.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.