Renato Rocha Miranda/ TV Globo
Renato Rocha Miranda/ TV Globo

Carolina Dieckmann será uma vilã periguete em 'Fina Estampa'

Atriz deixa estigma da mocinha pedante de 'Passione' na nova novela das 9 da Rede Globo

Maiara Camargo - Jornal da Tarde,

15 de agosto de 2011 | 10h56

Era para o público torcer por ela, mas a sem sal Diana, de Passione, última mocinha de Carolina Dieckmann, não convenceu e conquistou mais antipatia do que admiradores. De volta ao ar em "Fina Estampa", nova novela das 9, a atriz, que reassumiu as madeixas loiras, deve provocar um furor ainda maior. É que, desta vez, será assumidamente uma vilã, a periguete Teodora. Ainda assim, o ódio não deve durar a história toda. Aguinaldo Silva, autor do folhetim, promete dar à personagem um arco dramático parecido com o de Ferraço, vilão vivido por Dalton Vigh, em Duas Caras (2007). "Todo mundo vai odiar a Carolina de novo, mas a minha missão será fazer com ela o que eu fiz com ele: um processo de redenção. Primeiro, quero que as pessoas odeiem e, depois, se apaixonem por essa mulher", revela.

No início da trama, que estreia no dia 22, a personagem estará fora do Brasil com o namorado Wallace, um lutador de vale-tudo (Dudu Azevedo). O problema é que para ficar com ele abandonou o marido (Malvino Salvador) e o filho pequeno, interpretado por Gabriel Pelícia, ator mirim que deve chamar atenção pelo carisma em cena. Interesseira ao extremo, Teodora vai voltar ao País quando descobrir que sua ex-sogra, Griselda (Lília Cabral), ganhou na loteria. Esse retorno deve ocorrer por volta do capítulo 25 da novela.

O objetivo inicial da moça será vender a criança para a avó. Carolina conta que ficou perplexa ao tomar conhecimento dos planos maquiavélicos da vilã. "A Teodora posa de fofa, mas é má. Ela quer cobrar para que a Griselda continue criando o filho dela, ou seja, boas intenções essa pessoa não tem", afirma a atriz. Mas, tudo muda quando tem a oportunidade de encontrar o adorável Quinzinho. "Ela quer abrir mão do menino, porque não o conhece, mas na hora que vê o filho, se encanta e resolve lutar pela criança. A questão é que, nessa altura, ninguém mais acredita na sinceridade dela", adianta Aguinaldo.

Defensor de personagens mais maduros, o autor acredita que o drama de Teodora vai causar comoção. "É um personagem jovem, mas que carrega uma problemática complexa, envolvendo a maternidade. Não é repetitivo como a trajetória, por exemplo, daquelas figuras que buscam celebridade a qualquer preço", compara ele.

Sobre a periguetice de Teodora, Carolina esclarece como será o jeitinho da moça. "Ela não faz o estilo BBB ou Mulher Melancia. É uma coisa mais Paris Hilton, entende?" Para Aguinaldo, o filho é o que diferencia a personagem do senso comum. "Eu quis fazer com que ela tivesse um ponto fraco, que pudesse fazer deixá-la de ser periguete. Esse elemento é o filho que ela deixou para trás."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.