Carneiro da Cunha exibe sua arte em São Paulo

A Galeria Fortes Vilaça exibe, a partir de hoje, para o público, obras do paulistano Tiago Carneiro da Cunha e do alemão Thomas Scheibitz, um dos artistas convidados da 26.ª Bienal de São Paulo, marcada para setembro. Carneiro da Cunha mostra esculturas, Scheibitz, pinturas feitas em uma tela que mais se parece papel. Há quatro anos Carneiro da Cunha, que atualmente mora no Rio, vem desenvolvendo uma série de esculturas em resina de poliéster. Todas elas são trabalhadas como se pedras tivessem sido lapidadas e foram feitas a partir de símbolos culturais e religiosos, populares e científicos, como Buda, a esfinge, o totem, a caveira, ou a tradicional figura do mexicano dormindo, muito encontrada no México. Depois de um mestrado em Londres, Carneiro da Cunha conta que ficou "irritado": o artista era somente um artesão de luxo? A partir dessa idéia, surgiu o trabalho atual. As esculturas aparecem como pedras, preciosas ou não, só que lapidadas - a transparência do material, em alguns casos, remete ao cristal. E nas figuras está a subversão pelo modo como foram tratados aqueles ícones pelo artista: a carga espiritual e científica é deixada de lado, todos eles remetem mais a bibelôs, souvenirs para se colocar em casa. A "deturpação", palavra do artista, também está no caráter sexual contido em muitas delas. Sua mostra tem como título Templo do Homem.Thomas Scheibitz e Tiago Carneiro da Cunha - Galeria Fortes Vilaça. Rua Fradique Coutinho, 1.500. Vila Madalena, 3032-7066. Das 10 às 19 horas (sábado até às 17 horas; fecha domingo e segunda). Até 16/9

Agencia Estado,

20 de agosto de 2004 | 12h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.