Carlos Prates põe na tela os mistérios de Minas

Hoje e amanhã, 10 da noite no Canal Brasil. O canal brasileiro da TV paga resgata filmes de uma das personalidades mais secretas do cinema brasileiro. Hoje, você poderá (re)ver Perdida. Amanhã, Noites do Sertão. Ambos levam a assinatura de Carlos Alberto Prates Correia, ou simplesmente Carlos Prates, como ele se assina atualmente.

Luiz Carlos Merten, O Estadao de S.Paulo

23 de março de 2010 | 00h00

Vencedor do Kikito de melhor filme, em Gramado, com Castelar e Nelson Dantas no País dos Generais, em 2008, ele já recebera o mesmo prêmio por Cabaret Mineiro, em 1980. No intervalo, algo se passou. Carlos Prates recolheu-se, quase não dá entrevistas nem se deixa fotografar, mas continua filmando (e muito bem).

Seu cinema ficou mais difícil de catalogar - ensaio poético? Documentário ou ficção? É cinema autoral radical, com certeza. Em 1975, as ousadias de Perdida assustaram a comissão de seleção do Festival de Gramado. O filme foi proibido pela censura do regime militar. Até hoje é pouco conhecido. Maria Sílvia faz a doméstica salva de agressão pelo motorista de caminhão Álvaro Freire. Ele declara seu amor e a leva para a zona. A discussão dos parâmetros de honra (e falta de) era subversiva, na época, e continua sendo. A trilha une Tavinho Moura, Noel Rosa e Novos Baianos.

Noites do Sertão recebeu diversos prêmios nos festivais de Gramado e Brasília de 1984. Alguns foram repetidos - os de trilha, para Tavinho Moura, e fotografia, João Tadeu Ribeiro. O filme é uma adaptação de Buriti, que integra o volume Corpo de Baile, de Guimarães Rosa - e Carlos Prates é mineiro de Montes Claros, vale lembrar.

O diretor revira o sertão pelo avesso. Nada de jagunços nem místicos, mas a palavra de Rosa e a sua descoberta do olhar feminino. Cristina Aché, abandonada pelo marido, é convidada pelo sogro para morar na fazenda da família, onde se liga à cunhada Débora Bloch. A jovem Débora é um assombro. Também foi melhor atriz em Brasília e Gramado.

Canguru Jack

14H15 NO SBT

(Canguroo Jack). EUA, 2003. Direção de David McNally, com Jerry O"Donnell, Anthony Anderson, Estella Warren, Christopher Walken, Morton Csokas, Dyan Cannon.

Dois amigos de Nova York vão entregar uma encomenda na Austrália, mas se distraem com cangurus e um deles desaparece com a tal encomenda. Os heróis agora precisam encontrá-lo, o que se revela muito mais complicado do que parece. Comédia de aventuras com algumas presenças destacadas - Christopher Walken, claro, e Dyan Cannon, a ex de Cary Grant, que fez alguns filmes importantes por volta de 1970. Reprise, colorido, 94 min.

Herdeira da Máfia

15H35 NA GLOBO

(Crimes of Fashion). EUA, 2004. Direção de Stuart Gillard, com Kaley Cuoco, Dominic Chianese, Megan Fox, Pat Kelly, Chuck Shamata, Jill Morrison.

Estudante de modas herda o império criminoso do avô, um lendário capo da Máfia. Para complicar, a garota interessa-se por colega de escola, sem saber que é agente encoberto do FBI. O cinema contou muitas histórias da Máfia, mas a vinculação entre crime e moda não deixa de ser uma novidade nesta extensa filmografia. O diretor não ajuda muito, mas a coadjuvante Megan Fox pode ser interessante - e a estrela de Transformers adora posar de moderninha. Reprise, colorido, 100 min.

Dois Tiras Fora de Ordem

22 H NA REDE BRASIL

(I Due Superpiedi Quasi Piatti). Itália, 1976. Direção de Enzo Barboni, com Terence Hill, Bud Spencer, David Huddleston, April Clough.

Terence Hill e Bud Spencer estouraram como dupla nos westerns da série cômica Trinity, realizada justamente pelo diretor Enzo Barboni, do cartaz de hoje da TV aberta. Aqui, eles fazem tiras de Miami que enfrentam criminosos que gostam de se vestir como gângsteres dos anos 1930. O tom é de comédia rasgada, como sempre nos filmes de Hill & Spencer. As cenas de lutas, por exemplo, são encenadas como pastelão. Não é para todos os gostos, mas o público, em geral, adora. Reprise, colorido, 97 mim.

O Novo Mundo

22H15 NO SBT

(The New World). EUA, 2005. Direção de Terrence Malick, com Colin Farrell. Christopher Plummer, Q"Orianka Kilcher, Christian Bale, August Schellenberg, Wes Studi, David Thewlis, John Savage, Ben Chaplin.

Cahiers du Cinéma colocou este filme entre os dez maiores da década passada, o que pode ser altamente lisonjeiro para o diretor Malick, mas também lança dúvidas sobre a seriedade da revista. A história é a mesma de Pocahontas. Em 1607, ingleses se estabelecem no que é hoje o Estado da Virgínia e o romance o capitão John Smith e a bela filha do cacique local muda o curso da História (com H). Malick fez um filme bonito e detalhado, com um enfoque bem interessante do tempo, mas, de alguma forma, a riqueza pictórica do cartaz do SBT aponta para o passado, não para o futuro do cinema. Q"Orianka Kilcher, que faz Pochahontas, descende de autênticos peles-vermelhas. Reprise, colorido, 149 min.

Guerra dos Mundos

23H55 NA GLOBO

(The War of the Worlds). EUA, 2005. Direção de Steven Spielberg, com Tom Cruise, Dakota Fanning, Miranda Otto, Justin Chatwin, Tim Robbins.

Cahiers du Cinéma também considerou este filme outro dos dez maiores da década passada e, desta vez, acertou em cheio. O filme, com efeitos de ponta, é o segundo da trilogia informal de Spielberg sobre as consequências do 11 de Setembro na vida norte-americana (embora nenhuma referência seja feita ao ataque às torres gêmeas). Os outros dois filmes da série são O Terminal e Munique. A história, adaptada da fantasia clássica de H.G. Wells - que já havia sido filmada por Byron Haskin em 1953 - é sobre pai que tenta devolver a filha à mãe, no quadro caótico dos EUA invadidos por ETs. Maravilhoso. Pouca gente vai se dar conta, mas Gene Barry e Ann Robinson, que estrelavam o filme antigo, fazem pequenos papéis. Reprise, colorido, 116 min.

Intercine

3H15 NA GLOBO

A emissora exibe o preferido do público entre - Jade, thriller de William Friedkin na vertente de Instinto Selvagem, sobre policial que investiga assassinato brutal e desconfia de que sua ex pode estar envolvida no crime; e O Trem de Zhou Yu, de Zhou Sun, sobre homem que toma o trem do título para se encontrar com a amante em outra cidade; ele já possui uma mulher que desconfia dessas idas e vindas; o filme fez sensação na China pela narrativa não linear e, principalmente, pela voltagem erótica das cenas de sexo.

Amanhã

A Globo exibe amanhã, no Intercine, o preferido do público entre - Pecados do Passado, de Michael Stevens, com Gary Oldman, Ving Rhames e Kerri Washinghton, sobre policial cuja irmã é sequestrada e violentada; o caso pode estar ligado a evento que ocorreu há muitos anos (EUA, 2003, fone 0800-70-9011); e O Leão, de Jack Cardiff, com William Holden, Trevor Howard, Capucine e Pamela Franklin, baseado no livro de Joseph Kessel, autor de A Bela da Tarde, sobre garota que se liga a leão, no Quênia, e a família teme que ela esteja virando selvagem (EUA, 1962, fone 0800-70-9012).

TV Paga

O Campeão

22 H NO TCM

(The Champ). EUA, 1979. Direção de Franco Zeffirelli, com Jon Voight, Faye Dunaway, Ricky Schroeder, Jack Warden, Arthur Hill, Strother Martin.

Zeffirelli fez rios de lágrimas correrem na tela com seu remake da obra homônima de King Vidor, de 1931. Jon Voight faz o pai pugilista que disputa com a ex (Faye Dunaway) a guarda do filho. Na vida, mais preocupado com a carreira, Voight estava negligenciando a pequenina Angelina Jolie, de 4 anos, o que gerou ressentimentos profundos, hoje superados, ela garante. Reprise, colorido, 121 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.