Carlos Fuentes propõe comitê para restaurar New Orleans

O escritor mexicano Carlos Fuentes propôs neste domingo a formação de um comitê de intelectuais latino-americanos para "restaurar a cultura" da cidade americana de New Orleans, devastada pelo furacão Katrina. Fuentes afirmou em sua coluna do jornal mexicano Reforma que esse comitê deveria ser formado, em princípio, por ele mesmo, pela brasileira Nélida Piñon, o colombiano Gabriel García Márquez e o argentino Tomás Eloy Martínez. "Todos que amam esta cidade, seus músicos, escritores e pintores, nos perguntamos: como ajudar? Atrevo-me a propor a formação de um pequeno comitê latino-americano em prol da restauração da cultura de New Orleans", escreveu o autor do romance A Morte de Artemio Cruz. O escritor mexicano evocou em sua coluna "uma piada conhecida (que) diz que a América Latina começa em New Orleans" e disse que "das águas turvas do Katrina" surgiu "a capacidade da população para a sobrevivência". Fuentes afirmou que New Orleans foi "deixada à deriva" pelo Governo do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, "muito ocupado em cortar impostos dos ricos e em travar uma guerra perdida no Iraque em benefício da (empresa) Halliburton e (do vice-presidente) Dick Cheney". Mas "a grande reserva moral e intelectual de New Orleans supriu as lamentáveis ausências do Governo federal e nos remete à visão profética de (o escritor americano William) Faulkner", enfatizou. Faulkner descreve num romance "o que ocorreu hoje: a ruptura dos diques do rio Mississippi, a grande inundação e a resposta de homens e mulheres que ´fazem o que têm de fazer e o fazem com o que têm para fazê-lo´", disse Fuentes. "Vemos então o quão grandes podem ser nossa força e também nossas pequenas misérias. Em New Orleans, os fortes foram vencidos e os fracos triunfaram", disse o escritor mexicano. Fuentes disse ter saudades de New Orleans e lembrou que freqüentava essa cidade junto com sua esposa, e com o romancista Richard Ford, de quem era amigo. Ford era um "habitante do Vieux Carré, o centro histórico da cidade mestiça que é New Orleans: indígena, negra, francesa, espanhola e anglo-americana. A fundação data de 1718. A destruição ocorreu em 2005", escreveu Fuentes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.