Carla Bruni diz que adora Sarkozy por seus 'seis cérebros'

Em um livro a ser lançado nesta semana, aprimeira-dama da França conta como se apaixonou perdidamentepelo presidente Nicolas Sarkozy, graças não apenas a seufísico, mas também a seus "cinco ou seis cérebros". Carla Bruni-Sarkozy vem se mantendo discreta desde que seuromance fulminante com Sarkozy culminou com o casamento deles,em fevereiro, mas ela finalmente revela algo sobre orelacionamento deles em "Carla and Nicolas, The Real Story"(Carla e Nicolas, a história real). "Tudo aconteceu de repente. Eu não esperava alguém tãodivertido, tão cheio de vida. Fui seduzida por seu físico, seucharme e sua inteligência", ela conta aos autores do livro, deacordo com trechos publicados na quarta-feira na revista LePoint. "Ele possui cinco ou seis cérebros que são notavelmenteirrigados", disse a ex-supermodelo, acrescentando que Sarkozyconsegue processar o que dizem as pessoas à sua volta ao mesmotempo em que está lendo, não importa o adiantado da hora. O livro relata a história de amor francesa mais comentadaem anos. A cantora de 39 anos conta como desconfiou queestivesse sendo levada a um encontro com um desconhecido depoisde Sarkozy pedir a um amigo que organizasse um jantar, emnovembro. "Na verdade, assim que cheguei me dei conta de que era umencontro às escuras. Um encontro às escuras, mas não tão àsescuras assim", disse ela. "Havia três casais e nós dois, duaspessoas solteiras." Sarkozy só teve olhos para ela durante o jantar e a levoupara casa na madrugada. De acordo com o livro, o presidentevoltou à casa de Carla na noite seguinte para um jantar à luzde velas. Falando de sua vida como primeira-dama, Bruni-Sarkozy disseque não pretende abrir mão de sua carreira como cantora. "Não pretendo mudar de trabalho. Tenho uma função, mas nãoé um trabalho", disse ela, explicando que herdou sua função docasamento. Além de trabalhar em seu próximo álbum, previsto parachegar às lojas em 21 de julho, Bruni-Sarkozy disse que vaiprocurar dar apoio a seu marido. "Eu me preocupo com ele, frequentemente. Ele trabalhaincrivelmente duro. Procuro ajudá-lo a relaxar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.