Caravaggio pode não ter morrido em emboscada

Foi encontrado no arquivo paroquial da cidade de Porto Ercole, na Itália, o que seria a certidão de óbito do pintor Michelangelo Merisi da Caravaggio (1573-1609). O documento desmente a tese histórica de que Caravaggio teria morrido em uma emboscada encomendada por inimigos. Ele morreu no hospital Nossa Senhora do Socorro, na Toscana, de uma enfermidade natural. O diário Corriere della Sera destacou a descoberta com o título "A última verdade sobre o fim de Caravaggio". Um arquiteto e uma historiadora de arte foram os descobridores do documento, que ainda será analisado para que seja certificada sua autenticidade. Até hoje, tinha-se como data da morte de Caravaggio o ano de 1610.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.