Capela Sistina em 3D poderia ser criada para evitar sua deterioração

Objetivo é regular o fluxo de visitas e dar uma nova visão da obra para os frequentadores

Efe

06 de setembro de 2010 | 07h00

ROMA - O Conselho Nacional de Pesquisa (CNR) da Itália propôs construir uma cópia virtual da Capela Sistina como medida para reduzir a alta afluência de visitas que, segundo o diretor dos Museus Vaticanos, Antonio Paolucci, ameaça a conservação de seus afrescos.

"A ideia é lançar um projeto de museu virtual que permita ao público aprofundar na sua visita e nos conteúdos da obra, com um instrumento a mais para ter acesso a este importante patrimônio", explicou Eva Pietroni, coordenadora do CNR para o Instituto de Tecnologias Aplicadas aos Bens Culturais.

O projeto se sustenta no sucesso da sala multimídia que em 2003 foi instalada às portas do Museu Cívico de Pádua, com uma reprodução em 3D dos afrescos que Giotto realizou para a Capela dos Scrovegni que esta cidade italiana abriga.

"O objetivo é regular o fluxo de visitas, não fechar a Capela Sistina ao público, simplesmente oferecer ao visitante uma ferramenta para que se oriente melhor e entre para ver a obra familiarizado com seu conteúdo", aponta Eva.

Deste modo, segundo a especialista - coordenadora do grupo de trabalho que construiu a sala virtual de Pádua -, "o visitante pode completar a informação, se aproximar com outra perspectiva da obra, passear pelo espaço e captar elementos que de outro modo não perceberia"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.