Imagem Roberta Martinelli
Colunista
Roberta Martinelli
Som a pino
Conteúdo Exclusivo para Assinante

‘Canta Brasil...’

Não existe fórmula para lançar um disco, cada artista inventa uma maneira

Roberta Martinell, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2019 | 05h47

Como lançar um disco hoje? Muitos artistas postam várias fotos em estúdio contando os dias de gravação, as participações especiais e tudo o que acontece no processo para criar expectativa. Aí vai lançando aos poucos: um single, depois a capa, aí uma outra música e então o disco. Esse tem sido o caminho mais comum. Mas não é o único caminho. Claro. Aliás, não existe fórmula para lançar. Cada artista inventa uma maneira. Qual a melhor? Não sei se essa pergunta cabe. Talvez a pergunta seja: qual a melhor maneira para tal artista?

Sexta-feira passada, dia 13 de setembro, tivemos alguns exemplos de ótimos lançamentos na música brasileira: Elza Soares e Céu. 

Elza lançou o disco Planeta Fome com produção de Rafael Ramos e participação de Baiana System, Orkestra Rumpilezz, Virginia Rodrigues, B Negão, Pedro Loureiro e Rafael Mike. 

No caso dela, o disco foi aparecendo aos poucos. Ela anunciou o trabalho em julho deste ano já com o nome do álbum que, segundo ela, vem de uma conversa em sua primeira apresentação pública, no programa do Ary Barroso: Calouros em Desfile. Depois  veio a capa do trabalho com arte da Laerte, seguida por um single e o clipe da música Libertação e então, finalmente, no dia 13 “bem nesse dia da sorte e cheio de significados” (como escreveu a cantora em sua conta no Instagram) chegou o disco inteiro. Mais um manifesto, altamente conectado com o nosso atual momento e com a primeira composição da cantora. 

Na mesma sexta-feira, 13, de surpresa, com uma ou outra pista por aí, chegou o quinto disco da cantora e compositora Céu, Apká, com produção de Pupillo e Hervé Salters (a mesma dupla do trabalho anterior, Tropix). Começou com fotos de céu azul na conta dela no Instagram, no meio de agosto. Depois um piano, uma foto de estúdio, e, no dia 2 de setembro, uma foto de um diário, ou caderno, ou carta escrita à mão explicando o nome do disco Apká - uma palavra que seu filho mais novo, Antonino, falava em momentos de alegria ou bons sentimentos: “Em tempos de contrastes, sombra e luz, deixo registrado aqui esse singelo grito pessoal de uma porção de amor”. E o grito de amor estava em todas as plataformas na sexta-feira, sem aviso prévio e com um belíssimo clipe da música Coreto, dirigido por Aline Lata. (aliás, já viu? Faça isso já!)

Qual das duas maneiras funciona melhor? Não sei. Para cada uma, um modo. Se a expectativa para Elza foi criada a cada anúncio, o segredo da Céu também funcionou para criar essa ansiedade, a cada deslize ou pista deixada. 

Independentemente do modo de lançar, são dois discos que já marcam o ano de 2019. 

Música da semana - Que estrago

A cantora e compositora Letrux se prepara para a gravação do primeiro DVD de sua carreira. O show será no dia 28 de setembro, no Auditório Ibirapuera. A venda de ingressos foi anunciada para sexta-feira, 13, às 13h e os ingressos se esgotaram em menos de cinco minutos. Definitivamente, ela não passa batido na festinha. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.