Canais investem na cobertura das Olimpíadas

Não se assuste se a imagem continuar a mesma quando você apertar o botão do controle remoto. É que a partir desta sexta-feira, às 17h, quando começa a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Londres, 16 canais estarão transmitindo as competições, em uma acirrada disputa por audiência pelas próximas duas semanas.

AE, Agência Estado

27 de julho de 2012 | 11h22

Só o SporTV terá oito canais, quatro deles em alta definição, para mostrar as partidas 24 horas por dia. Com permissão para exibir o evento na TV por assinatura, o canal, que pertence à Globosat, tem a Record como pedra no sapato. Apesar de ter 550 profissionais envolvidos, 200 a mais do que a emissora do bispo Edir Macedo, o SporTV teve as credenciais distribuídas pela Record, detentora dos direitos de transmissão em TV aberta no País. Mesmo com restrições, o canal pago carregou para a capital inglesa a estrela do esporte da Globo, Galvão Bueno.

Esta é a primeira vez que a Record exibe a Olimpíada, após a experiência com os Jogos de Inverno de Vancouver, em 2010, e o Pan-americano de Guadalajara (2011). Além das transmissões encabeçadas por Ana Paula Padrão e Mylena Ciribelli, ex-globais, a emissora transformou ex-atletas em comentaristas, como o ex-nadador Fernando Scherer, o Xuxa, egresso de "A Fazenda", e Virna Dias, que já representou o Brasil no vôlei feminino. "Todos os narradores e comentaristas passaram por treinamento. Assistíamos a um jogo na íntegra e tínhamos de comentar. Pelo ponto eletrônico, um diretor dava instruções e uma fonoaudióloga também, para ficarmos mais espontâneos. Evoluímos", diz Virna.

A primeira transmissão olímpica, da seleção feminina de futebol, deu à Record a vice-liderança no horário da tarde, na quarta-feira, com 7 pontos, o dobro do que costuma marcar normalmente. A Globo, com a programação normal (sessão da tarde), se manteve líder com 13 pontos. Se na Record as competições terão destaque nos programas ao vivo, como o "Hoje em Dia" e o "Domingo Espetacular", a Record News vai virar uma central da Olimpíada, com cerca de 20 horas diárias dedicadas aos jogos.

No "Globo Esporte" e no "Jornal Nacional" de quarta-feira, aliás, a Globo ratificou que não transmitirá os Jogos - qualquer imagem terá o selo "imagens cedidas pela TV Record". Em comunicado, a emissora diz que seguirá as regras do Comitê Olímpico Internacional e terá direito a seis minutos de imagens para serem exibidas em três jornalísticos por dia.

A RedeTV!, por sua vez, terá seis profissionais para rodar a vila olímpica, com boletins de dez minutos ao longo da programação. Com cobertura mais modesta, o ESPN, subdividido em ESPN Brasil, ESPN+ e o canal em alta definição, também dedicará sua programação ao evento. Já o BandSports, dará espaço a diferentes modalidades em sua grade. Com uma pegada diferente, o "Furo em Londres", da MTV, vai mostrar a Olimpíada pelo viés do humor. As informações são do Jornal da Tarde.

Mais conteúdo sobre:
televisãoOlimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.