O festival de Tanglewood, realizado desde os anos 30 em Lenox, Massachusetts, nos Estados Unidos, deve ser o modelo para o Festival de Inverno de Campos do Jordão que, a partir de 2012, passa a ser gerido pela Fundação Osesp e terá Marin Alsop como diretor artística.

08 de março de 2012 | 03h10

A escolha remete a uma linhagem de maestros que, ainda que indiretamente, está relacionada à própria história de Campos: envolvido na criação de Tanglewood estava o maestro Sergei Koussevitzky, um dos mentores de Leonard Bernstein que, por sua vez, deu aulas a Alsop; além disso, o brasileiro Eleazar de Carvalho, que dirigiu o festival de Campos nos anos 70, deu aulas em Tanglewood, orientando alunos como Claudio Abbado, Zubin Mehta e Seiji Ozawa.

"É muito excitante para nós poder trabalhar em Campos", diz Alsop. "É um festival que já tem um histórico importante, bem estabelecido, e que vai nos permitir lidar com uma questão que é bastante importante para nós na Osesp: criar um ambiente apropriado para que jovens possam aprender, instrumentistas, compositores, maestros, ao lado de gente do mundo todo. E isso está ligado aos objetivos iniciais do festival, desde que ele foi criado."

Um dos desafios, acredita Alsop, é encontrar o equilíbrio entre os concertos e recitais e a parte pedagógica. O Estado apurou que ela vai atuar como diretora artística e seu adjunto, Celso Antunes, fará as vezes de diretor pedagógico, mas a divisão de tarefas ainda não foi confirmada.

Alsop é conhecida pelo trabalho com a formação de plateias e de jovens músicos. Em Baltimore, criou recentemente um programa dedicado a ensinar música a crianças carentes, inspirado no Sistema venezuelano. Por sua vez, Antunes tem sua trajetória bastante ligada à música coral. / J.L.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.