Campinas vai homenagear Carlos Gomes com monumentos

Campinas lançou um concurso nacional para escolher três monumentos que serão construídos em homenagem ao compositor e maestro campineiro Carlos Gomes. As obras serão instaladas no Memorial Carlos Gomes, que deve ser aberto até o fim deste ano sob o viaduto São Paulo, um dos pontos mais movimentados da cidade.Estão propostos como temas três das óperas mais conhecidas o compositor: "O Guarani", "Lo Schiavo" e "Maria Tudor". Cada artista escolhido vai receber R$ 10 mil como prêmio. A administração municipal também vai disponibilizar até R$ 60 mil para a produção e montagem de cada proposta vencedora.Os interessados em participar do processo devem escolher apenas um tema. As obras não podem ultrapassar 4 metros de altura ou pesar mais do que 2,5 toneladas. As características técnicas completas estão descritas no edital do concurso que pode ser localizado na página inicial do site www.campinas.sp.gov.br. As inscrições vão até o dia 11.Segundo o secretário de Cultura, Esportes e Lazer, Francisco de Lagos, o Memorial é parte de um processo de recuperação do nome de Carlos Gomes na cidade e conseqüentemente no Brasil. "Campinas não estava reverenciando plenamente nosso compositor e maestro mais famoso no mundo, algo muito comum nas cidades que possuem filhos ilustres nessa área das artes", disse.Segundo Lagos, tanto a Praça Carlos Gomes quanto a praça onde estão os restos mortais do compositor, ambas no centro de Campinas, foram revitalizadas. Também estão sendo realizadas peças teatrais na periferia da cidade sobre a vida de Carlos Gomes e, este ano, foram entregues 130 mil cadernos aos alunos da rede pública municipal de ensino fundamental com a foto e um pequeno histórico do compositor e maestro.Além disso, outra referência à memória de Carlos Gomes será a reabertura da Casa da Banda Carlos Gomes, que está sendo restaurada desde o início deste ano. A previsão de reabertura, agora como centro cultural, é 27 de setembro. O prédio, de 1931, aos cacos antes da restauração, era utilizado para os ensaios da corporação formada por imigrantes italianos em 1895.Tanto o dinheiro para o concurso para a escolha das três obras do memorial quanto os R$ 132 mil para a restauração da Casa são investimentos da Sociedade de Abastecimento e Saneamento SA (Sanasa), empresa mista de tratamento de água e esgoto de Campinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.