Campanha adverte anunciante de programa policial

Os noticiários policialescos de final de tarde podem perder anunciantes. Pelo menos é essa a esperança da coordenação da Campanha "Quem Financia a Baixaria é Contra a Cidadania", que visa a melhorar a qualidade da programação das emissoras. Segundo o coordenador da campanha, o deputado Orlando Fantazzini (PT/SP), 14 anunciantes que costumam patrocinar noticiários como Cidade Alerta, da Record, e Brasil Urgente, da Band, receberam recentemente ofícios da campanha informando alguns dos "abusos" cometidos por esses programas e pedindo para que essas empresas revejam suas estratégias de marketing na TV.Seis grandes anunciantes desses noticiários responderam ao ofício de Fantazzini, sendo que cinco deles prometeram rever seu investimento em programas do gênero imediatamente ou em um curto prazo. A Casas Marabraz, por exemplo, enviou carta dizendo que a empresa se solidariza com a causa da campanha e promete avaliar melhor em suas próximas negociações com emissoras a qualidade dos programas em que estão investindo. A Secretaria da Fazenda do Distrito Federal respondeu que já determinou à sua agência de publicidade que cancele inserções de ações comerciais no programa Cidade Alerta, da Record. Oito das empresas contatadas pela campanha contra a baixaria não responderam ao ofício.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.