Camisas pretas representam um público cobiçado

Rock in Rio de 2011 teve sua maior plateia, mais de 100 mil pessoas, na noite em que levou bandas de thrash, death, punk e hardcore para a Cidade do Rock

O Estado de S.Paulo

22 de abril de 2013 | 02h08

Não por acaso, os metaleiros têm se tornado um dos públicos mais almejados por festivais de rock, independentes ou não. O Rock in Rio de 2011 teve sua maior plateia, mais de 100 mil pessoas, na noite em que levou bandas de thrash, death, punk e hardcore para a Cidade do Rock.

No próximo dia 15, a casa de show HSBC Brasil volta a usar a fórmula do dois em um torno do universo metal e reúne as bandas Testament e Anthraz. O público dos 'camisas pretas' não é apenas considerado o mais fiel como também um dos poucos que alimentam uma indústria de camisetas e acessórios muitas vezes vendidos nos próprios locais de shows.

Nas apresentações do Abril Pro Rock, eles representaram o dobro do público presente na noite anterior. Sete mil metaleiros tomaram o Chevrolet Hall na mesma noite em que um espaço vizinho da mesma casa abrigava um show do cantor de pagode Belo. "Um lugar como esse aqui não pode tocar só bagaceira, como faz. Vamos respeitar o rock nacional, as bandas brasileiras", pediu aos gritos o vocalista do Devotos, o pernambucano Canibal. A plateia aplaudiu e vaiou a programação da casa. / J.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.