Câmara convoca TV Cultura para explicar crise

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) da Câmara dos Deputados aprovou ontem em Brasília, por unanimidade, requerimento do deputado Jamil Murad (PC do B-SP) convocando o presidente da Fundação Padre Anchieta (mantenedora da TV e Rádio Cultura), Jorge da Cunha Lima, a prestar esclarecimentos acerca da "maior crise financeira e institucional já registrada naquela emissora".O presidente da CCTCI, deputado Corauci Sobrinho (PFL-SP), informou que a audiência deverá ocorrer nos próximos 15 dias. A comissão vai pedir informações também sobre a situação da Rádio Cultura, da mesma fundação, e pretende estender o debate à crise que atinge todo o sistema nacional de radiodifusão estatal. O deputado Murad disse que, além das questões decorrentes do orçamento exígüo da emissora, divergências entre o governo do Estado e a direção da fundação poderiam estar dificultando a sobrevivência da única TV pública de São Paulo. No seu requerimento, Murad ponderou que a situação de "sucateamento" progressivo da TV contribui para a destruição da memória da instituição e, por conseqüência, da televisão brasileira.Horas antes, em São Paulo, sete deputados estaduais estiveram na sede da emissora, durante duas horas, em audiência com Cunha Lima, para iniciar um "procedimento público" de acompanhamento da situação. O presidente da fundação informou que já está em avançada negociação um acordo com o governo do Estado e que, na sua avaliação, a crise foi contornada.O deputado Vicente Cândido (PT) disse que a comissão não ficou convencida com as explicações e que pretende pedir uma auditoria das contas da emissora ao Tribunal de Contas do Estado (TCE). "O que eu presenciei foi uma profunda desorganização, como se o presidente da fundação tivesse acabado de tomar posse na instituição", afirmou Cândido. "Do jeito que ele coloca as coisas, parece que toda a crise se resume a R$ 800,00", disse. "À medida que cresce a receita própria da TV Cultura, parece que o Estado vai se sentindo mais desobrigado de sua manutenção e isso também cria grandes dificuldades para o funcionamento pleno", considerou Cândido.Aumento - A TV Cultura declarou uma expectativa de receita própria (com anúncios pagos na sua grade de programação) de R$ 30 milhões para este ano. De 2000 até 2003, a emissora triplicou a receita com publicidade, assim também como recebeu aumentos consecutivos de dotação do Estado. Ainda assim, viu chegar ao público há duas semanas um diagnóstico alarmante de sua situação estrutural, publicado no Estado.A direção da fundação ainda luta pela liberação de cerca de R$ 3 milhões do valor contingenciado pelo governo no orçamento de 2003. Na terça-feira, o governo anunciou a liberação de uma quantia de emergência, R$ 186 mil, para reparos na caixa d´água da sede da emissora. Além de Vicente Cândido, visitaram a Cultura os deputados Célia Leão (PSDB), Simão Pedro (PT), Maria Lúcia Amary (PSDB), Adilson Rossi (PTB) e Waldir Agnello (PSB). Também acompanhavam a comitiva outros dois deputados estaduais, Enio Tatto (PT) e Orlando Morando (PSB), que entraram esta semana com um pedido de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para examinar o caso da crise na emissora paulista.

Agencia Estado,

15 de maio de 2003 | 16h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.