Caleidos e Unesco fazem parceria pela arte e educação

Projeto que busca a formação deprofessores de escolas públicas, o Dança-Escola reuniu cerca de20 educadores para ensiná-los a usar a dança como ferramentaeducativa, com o apoio da Unesco. A proposta de Isabel Marques eFábio Brazil, diretores do Caleidos Arte e Ensino, é estabelecerpontes entre a arte, o ensino e a sociedade, utilizando paraisso a linguagem da dança contemporânea e da poesia.Isabel conta que o namoro com a Unesco começou quandoela representou o Brasil em um encontro entre especialistas emarte e educação da América Latina. "Uma das questões discutidasestava no fato de que um País como o nosso, com tantos estilosde dança presentes na vida cultural, não utiliza essa expressãoartística no ensino formal", diz a diretora. Foram oito mesesde negociações com a diretora da Unesco, Tereza Wagner, atéconseguir patrocínio para iniciar professores da rede pública nouniverso da dança.Como requisitos, os pedagogos deveriam estar ematividade e já ter alguma experiência com dança na escola."Quando recebi as fichas de inscrição, observei que a dança,para muitos, é um apenas espetáculo, o repertório não era muitoamplo e havia uma série de equívocos, boa parte apenas copiava oque via na televisão ou fazia dança de repertório sem conteúdo.Mesmo assim, conseguimos formar uma turma e ainda temos quatro,caso consigamos apoio para dar continuidade ao projeto."O primeiro passo, então, foi ampliar o contato com adança e trazer conceitos à tona, por meio de um curso teórico eprático. Uma série de reflexões foi sugerida - pensar noespetáculo como um trabalho concreto, que envolve criação, odesenvolvimento de um processo de linguagem de movimentos e opensamento por detrás desses elementos e ainda, pensar qual é osignificado do corpo.Isabel e professores exploraram a criatividade paracompor a dança. "Trabalhamos a elaboração de seqüências demovimentos e, principalmente, como transmitir aos alunos elevá-los à reflexão. Para isso, criamos gestos e depoisdiscutíamos em grupo como transferir esse conhecimento para ascrianças e a melhor maneira de fazê-lo para cada faixa etária,sem tirar a espontaneidade."O grupo foi conscientizado que dança não é apenasdiversão e sim um processo artístico, que exige dedicação.Segundo os profissionais, as crianças devem ser estimuladas atrazer idéias e pensar sobre aquilo que estão fazendo, e devemparticipar de todas as etapas da criação. O caminho escolhidopara montar uma seqüência foi a improvisão, composiçãocoreográfica método de Rudof Laban e a leitura de textos dePaulo Freire e Ana Mae Barbosa."Eles tiveram acesso a fundamentos técnicos, além depensar a dança no contexto sociopolítico e cultural em que cadaprofessor e aluno estão inseridos." Os professores tambémtrabalharam a relação da dança com outras linguagens artísticas,como as artes plásticas (em um diálogo com Soraia Sabino) e coma poesia (um interface com Fábio Brazil)."O ideal seria dar continuidade ao projeto, acompanhara transmissão das técnicas e aprofundar conceitos. Para issoprecisamos de parcerias e apoiadores." O Caleidos nasceu em1996, como um centro de estudos dentro da Unicamp e, desde então tem desenvolvido projetos de educação contínua de professores,espetáculos interativos, palestras, workshops e cursos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.