"Calçadão" aposta nas ruas

Trazer à tona a história da cidade de São Paulo bairro a bairro, incluindo as curiosidades, e descobrir o que pensam, vestem e como se comportam os jovens de hoje, é o objetivo do novo programa do canal 21, Calçadão. Ancorada em algum bairro da grande São Paulo, a apresentadora Luciana Dias pergunta e a platéia responde. Mas, cuidado: quem passar no set de gravação pode se tornar um personagem. Com uma hora e meia de duração e ao vivo, a atração estréia segunda, às 13h.?O projeto surgiu há mais de um ano e estamos apostando, desde então, no inusitado. É um formato novo e arriscado?, afirma o diretor da emissora, Juca Silveira. E, completa: ?Nesses quatro anos de existência do canal, arriscamos bastante, mas também tivemos grandes acertos. A nossa intenção é sempre descobrir coisas novas?.Nesta primeira semana, a transmissão será feita diretamente da Praça de Sé, com enfoque nos meninos de rua que ali vivem e nos trabalhadores que circulam diariamente pelo marco zero da cidade. Em cada programa, cerca de 30 adolescentes, a princípio de um colégio próximo ao local, serão convidados para debates com temas que abordam o mundo em que vivem. No campo musical, a apresentadora irá conversar com o grupo Altura de Los Andes, que toca músicas andinas com instrumentos típicos. Para quem quiser trocar alguma coisa, até a própria mulher, ou mandar um recado para alguém, o Calçadão terá espaço nos quadros Do fundo do Coração e Classificados. Para aqueles que não estão afiados em história, é melhor não arriscar, pois poderão ser pegos com perguntas como: quem foi Libero Badaró, Benjamin Constant ou alguma outra celebridade histórica. Reclamações ficam por conta do Boca no Trambone.?Se pudermos, de alguma forma, ajudar os moradores a solucionar os problemas do bairro, iremos nos empenhar nisso. Se, por exemplo, os jovens quiserem uma rampa de skate, iremos convidar um perito nesse assunto e iremos em busca da solução?, garante Luciana. Além dos quadros fixos, o programa terá novidades, que surgirão durante a semana, além de especiais gravados para identificar historicamente o local e matérias dos vídeo-repórteres, os abelhas, do programa SP Digital. Pensando nos imprevistos de São Pedro, o programa poderá ser ancorado em um local fechado. ?Vamos consultar a previsão do tempo um dia antes, e se a possibilidade de ter chuva for grande, optaremos por lugares fechados?. Na semana de estréia, a opção será o metrô da Sé. Já o cenário vai ficar por conta da paisagem do local escolhido, com cadeiras e mesas para acomodar os convidados. ?Vamos apenas levar elementos para compor o cenário. Não queremos estragar o local, a nossa preocupação é apenas com o conteúdo?, completa Luciana.Nascida em Curitiba e criada no Nordeste, Luciana Dias, de 29 anos, é formada em jornalismo e já trabalhou como repórter, produtora e editora de programas. ?Meu último trabalho na televisão foi na Bandeirantes da Bahia, onde apresentava o programa diário 7 + 7. Depois, vim diretamente para cá?, diz, completando: ?Vou conhecer a cidade junto com os participantes do programa?. A direção fica por conta de Allessandro Gonçalves, o mais novo contratado da emissora. ?Estou vindo do programa É Show com Adriane Galisteu, da Record.?, informa. ?O projeto do Calçadão é ótimo, pois podemos agregar diversas coisas que a rua vai nos oferecer. No estúdio, não sabemos se a platéia vai ou não falar sobre um certo assunto. O objetivo é fazer a moçada falar e torcer para que o programa chegue até seu bairro?, explica. Para a próxima semana, o local escolhido é a Praça Silvio Romero, no bairro do Tatuapé.

Agencia Estado,

03 de dezembro de 2000 | 12h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.