Caixa luxuosa de DVDs celebra Alfred Hitchcock

Nos anos 1990, uma pesquisa feita com diretores de todo o mundo apontou Alfred Hitchcock como o maior e o mais influente autor de cinema. Em agosto deste ano, outra pesquisa, do American Film Institute, subverteu velhos conceitos consagrados. "Cidadão Kane", de Orson Welles, e "O Encouraçado Potemkin", de Sergei M. Eisenstein, que sempre lideraram as pesquisas, deixaram de ser os maiores filmes de todos os tempos e foram substituídos por um novo campeão - "Um Corpo Que Cai", "Vertigo", do mestre do suspense.

AE, Agência Estado

27 de dezembro de 2012 | 10h30

É curioso como em "Hitchcock", de Sacha Gervasi, o presidente da Paramount se recusa a financiar "Psicose", dizendo que, sempre que Hitchcock quer inovar, o resultado decepciona, e ele cita justamente "Um Corpo Que Cai". A obra-prima de 1958 é um dos 14 filmes que integram a coleção Alfred Hitchcock - The Masterpiece Collection, da Universal. Os longas, produzidos entre 1942 e 1976 e todos remasterizados para que seu brilho audiovisual reluza ainda mais em Blu Ray, são "Psicose", "Um Corpo Que Cai", "Os Pássaros", "Janela Indiscreta", "Festim Diabólico", "O Homem Que Sabia Demais", "Cortina Rasgada", "Frenesi", "Marnie, as Confissões de Uma Ladra", "Topázio", "Sabotador", "O Terceiro Tiro", "A Sombra de Uma Dúvida" e "Trama Macabra".

Os puristas vão reclamar que "Pacto Sinistro", "Ladrão de Casaca" e "Intriga Internacional", entre outros clássicos, tenham ficado de fora, mas a caixa é imprescindível, principalmente agora que dois filmes - "Hitchcock" e "A Garota" - fazem a revisão, não da carreira, mas da própria vida do artista. A psicanálise do homem revela aspectos inusitados de sua personalidade - e da obra. Hitchcock nasceu em Londres, em 1899, e morreu em Los Angeles, em 1980. Começou sua carreira na época do cinema mudo e se adaptou ao falado, incorporando e até antecipando inovações técnicas e estéticas que revolucionaram o cinema. Quando "Psicose" se revela um fracasso em "Hitchcock", sua mulher e roteirista, Alma Reville, pressiona o marido a retomar a montagem, dizendo que é o que ele sabe fazer de melhor. Hitchcock foi um gênio, mas o que "Hitchcock" e "A Garota" revelam é o lado sombrio desse gênio. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

ALFRED HITCHCOCK - A OBRA-PRIMA

Universal, R$ 499,90

Tudo o que sabemos sobre:
cinemaAlfred HitchcockDVD

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.