Cada dia da semana

Domingo

Camila Molina, O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2010 | 00h00

O primeiro capítulo ou caderno tem como título O Leão de Belfort. Formado por 35 obras, é dedicado ao elemento O Barro, mas, como define Spies, Ernst transcende a relação com o relato bíblico da criação do mundo rejeitando a ideia do barro que originou o homem e ainda de que o domingo seria o dia do descanso. O Leão de Belfort é um híbrido de homem em cenas de violência e luxúria.

Segunda-feira

Dedicado ao elemento A Água e esse título tem a mulher como figura central das 27 colagens. É a água que provoca desgraças e que inunda sonhos.

Terça-feira

O terceiro caderno, do elemento O Fogo e sob o título A Corte do Dragão, compreende 45 trabalhos. Homens e mulheres parecem camuflar em si asas ou crinas de dragão. Em algumas cenas, ainda, o animal está à espreita de acontecimentos.

Quarta-feira

É o dia do elemento O Sangue e da referência ao mito de Édipo em 29 colagens. Nas obras, os seres são híbridos de pássaros.

Quinta-feira

O último caderno reúne os exemplares de quinta, sexta e sábado, mas cada dia tem seu tema e elemento. O primeiro, de O Negro, tem os capítulos A Risada do Galo e A Ilha de Páscoa.

Sexta-feira

Do elemento A Vista e sob título O Interior da Vista - Três Poemas Visíveis,

Sábado

Do elemento Desconhecido e sob título A Chave dos Cantos - Três Poemas Visíveis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.