'Cachalote', graphic novel costura várias tramas

'Cachalote', graphic novel costura várias tramas

Trabalho é resultado da parceria de Daniel Galera (texto) e Rafael Coutinho (desenho)

24 de junho de 2010 | 06h00

Ubiratan Brasil - O Estado de S. Paulo

 

SÃO PAULO -  São seis histórias, independentes mas aparentemente unidas pelo misterioso navegar de um cachalote, a maior das baleias com dentes. De um lado, um decadente ator chinês suspeito de participar da morte do astro do filme, enquanto um garoto mimado é enviado a Paris para se tornar responsável; de outro, um escultor famoso e controverso, que aceita participar de um filme baseado em sua vida por pura vaidade, enquanto um jovem vendedor de ferragens, adepto da dominação sexual com cordas, se apaixona por uma garota que gosta da mesma perversão; e, por fim, um escritor deprimido que se encontra com a ex-mulher a fim de manter esse vínculo afetivo, enquanto uma velha mulher, grávida e solitária, vaga por sua mansão onde tem encontros oníricos com uma baleia na piscina.

 

Cachalote é o resultado da costura dessas tramas, graphic novel nacional de Daniel Galera (texto) e Rafael Coutinho (desenhos) que a Companhia das Letras envia nesta quinta, 24, para as livrarias - o lançamento ocorre no sábado em uma loja justamente chamada de Cachalote. Não se trata de mais um livro com quadrinhos - fruto de um trabalho de dois anos, a obra traz um rebuscamento visual em preto e branco, além de um roteiro milimetricamente concebido, de forma a não permitir nenhum cruzamento das histórias mas, ao mesmo tempo, fazer acreditar que todas se apoiam sob o mesmo fio invisível. Recurso semelhante ao utilizado por roteiristas, como o mexicano Guillermo Arriaga, autor dos diálogos de Amores Brutos.

 

"Procurei trabalhar o subtexto das tramas de Cachalote como se fossem contos, insinuando os principais conflitos e emoções dos personagens por trás do que está explícito e dando chaves para que o leitor possa acessar essas camadas mais profundas", conta Daniel Galera ao Estado. "Muitos aspectos narrativos do livro são análogos ao que busco alcançar quando escrevo prosa." Apontado como um dos grandes nomes da nova geração de escritores nacionais, ele encontrou, em sua estreia na área dos quadrinhos, o equilíbrio perfeito entre texto e imagem sequencial.

 

Para isso, foi decisivo o entrosamento com Rafael Coutinho - filho do cartunista Laerte e com experiências no cinema (desenhou o storyboard para o filme Bicho de Sete Cabeças, de Laís Bodanzky), ele conheceu Galera em 2007 e, desde então, decidiram trabalhar juntos, fechando uma parceria mesmo sem ter a trama rascunhada.

 

O primeiro passo foi uma série de textos de Daniel Galera, que inspiraram um roteiro mais técnico, com indicações de distribuição de diálogos pelos quadrinhos. "Ainda que Cachalote seja resultado de uma mistura de ideias e argumentos originais, meus e do Rafa, creio que nas etapas iniciais a minha voz literária se impôs no desenvolvimento das histórias", conta o escritor.

 

É o que justifica a presença da crueldade de pessoas comuns e as falsas promessas de felicidade - potente e cuidadosa como um coquetel servido gelado, a graphic novel fala sobre racismo, vaidade, mesquinhez e (mais desolador) a maldade emocional de pessoas aparentemente normais. "Gosto de detalhes tanto da trama quanto das ilustrações que pedem uma segunda, até uma terceira leitura", conta André Conti, editor responsável pelo selo de HQs da Companhia das Letras. "Debruçado sobre cada quadro, é possível descobrir até onde vai o detalhismo (e a loucura) do Rafa."

 

Cachalote - Autores: Daniel Galera e Rafael Coutinho. Editora: Cia. das Letras (320 págs., R$ 45). Local: Loja Cachalote. Rua Ministro Ferreira Alves, 48, 3676-0796. Sábado, 14 h.

Tudo o que sabemos sobre:
'Cachalote'graphic novel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.