Bussunda iniciou a carreira na Casseta Popular

O humorista carioca Cláudio Besserman Vianna, o Bussunda, morto na manhã deste sábado após um ataque cardíaco fulminante, começou sua carreira no início da década de 80, com o tablóide Casseta Popular. A publicação fez sucesso principalmente no Rio de Janeiro, ao combinar crítica política, comportamento e sátiras escrachadas.Estudante de jornalismo na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), ele foi chamado para trabalhar no jornal, junto com o humorista Claudio Manoel, pelos estudantes de engenharia Beto Silva (Roberto Adler), Hélio de la Peña (Hélio Antonio do Couto Filho) e Marcelo Madureira. Mais tarde, o grupo formaria o núcleo que deu origem ao Casseta & Planeta.O sucesso fez que com o tablóide se transformasse em revista, em 1986. Dois anos depois, Bussunda e o grupo foram chamados pela Rede Globo para escrever os roteiros do programa TV Pirata, ao lado de Hubert Aranha, Reinaldo Baptista e Cláudio Paiva, ex-redatores do famoso jornal O Pasquim e responsáveis então pelo Planeta Diário, jornal que chegou a vender 100 mil cópias no Rio circulando apenas com notícias falsas.Já trabalhando para a Globo, o grupo fez sucesso ao lançar a candidatura do Macaco Tião, que vivia no zoológico do Rio de Janeiro, para prefeito do Rio. Em tempos sem urna eletrônica, ele recebe o equivalente a 9,5% dos "votos".A Globo extinguiu o TV Pirata em 1990, mas a trupe se manteve reunida - à exceção de Cláudio Paiva - no grupo Casseta & Planeta. Eles escrevem o Doris para Maiores, humorístico apresentado por Doris Giesse, e ganham um programa mensal na emissora a partir de 1992. Em 1997, o programa se torna semanal, e tem em Bussunda uma de suas figuras mais carismáticas. Entre seus principais personagens estavam as imitações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do atacante Ronaldo e do jogador Marrentinho Carioca, "craque" do Tabajara FC, o "pior time do mundo".Entre 1993 e 1998 ele também colaborou com o caderno Zap!, do jornal O Estado de S. Paulo.Sucesso extrapola o ´Casseta´O sucesso do Casseta & Planeta rendeu a Bussunda um destaque que extrapolava suas participações no programa. Ao mesmo tempo em que tinha sua imagem automaticamente associada ao grupo, o humorista passou a fazer participações independentes em comerciais e dublagens. Na versão dublada de Shrek, por exemplo, ele faz a voz do personagem principal, o ogro que dá nome ao filme. "Casseta" mais solicitado em campanhas publicitárias, desde 2004 Bussunda é um dos protagonistas da milionária guerra publicitária entre as cervejarias do país. Nas propagandas da Antarctica, fazia papel de anti-galã ao lado da musa Juliana Paes. Em entrevista ao Estado (veja o link ao lado), em 2004, Bussunda respondeu com bom humor a uma pergunta sobre seu protagonismo dentro dos Cassetas. "O grupo é tratado como Bussunda e turma. Isso não cria constrangimentos?", perguntou a repórter Leila Reis. "Isso mudou muito, já andam até me chamando de Hubert", respondeu, com modestéstia o humorista.Paixão pelo futebolUma outra marca registrada do humorista era a sua paixão pelo futebol. Além de suas imitações de Ronaldo e Marcelinho Carioca, Bussunda podia ser visto todas as sextas feiras participando de peladas em um campo da zona sul do Rio.O Casseta & Planeta foi um dos primeiros programa humorísticos a colocar humor na cobertura de Copas do Mundo. Durante as preparações para o Mundial de 1998, o grupo chegou a irritar o técnico Zagallo, que desistiu de acompanhar um treino físico dos jogadores por considerar as piadas do grupo ofensivas demais. Com o sucesso da fórmula, no entanto, a abordagem dos comediantes deixou de ser um estorvo. Atualmente, até os próprios alvos das piadas demonstram boa vontade ao participar do programa.Ao todo, Bussunda participou com a trupe em 11 livros, três discos, um filme e uma peça de teatro. Além do programa, Bussunda tinha outras ocupações paralelas, inclusive como jornalista. Torcedor apaixonado do Flamengo, escreveu colunas nas revistas Placar e Lance a Mais.Bussunda completaria 44 anos no próximo dia 26 de junho. Era casado e tinha uma filha. Seu irmão, o economista Sérgio Besserman Viana, é o atual presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).Matéria atualizada às 15h20

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.