British Colony traz novo olhar para o visual masculino

Queridinho de uma parte da crítica de moda, como Costanza Pascolato, o jovem estilista Maxime Perelmuter expôs, em sua marca British Colony, a idéia de uma moda lisérgica, astral, tropical, levemente utópica: uma continuação de seu trabalho e pesquisa. "Minha proposta é outra: quero criar novas identidades", afirma ele. Assim ocorreu. "Adorei essa sua viagem", disse a ele, ao fim do desfile Costanza.Uma viagem em que o homem, o forte da coleção, é vestido de ponchos, shorts, regatas em texturas variadas, como as tramas de crochê (como se fossem feitas por pescadores), o voil indiano, o veludo de seda fantasia e jersey metalizado. "Um clima relax, o caminho do meu estilo", fala ele. As estampas são as mais variadas e transmitem os eixos de suas idéias para a coleção: o lisérgico, o "rock burguês tropical" e o pescador. Tudo muito solar também, com acessórios como bandanas em crochê e havaianas. Estampas de flores, de paisagens lisérgicas, da bandeira nacional. Um samba do crioulo doido: fashion.Veja Galeria

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.