Britânica lança biografia sem entrevista com Lady Gaga

Aos 24 anos, Stefani Joanne Angelina Germanotta - mais conhecida como Lady Gaga -, é uma das 100 artistas mais influentes do mundo, segundo a revista Time. O mais incrível dessa história é que há três anos, ninguém sabia quem era essa moça. Em 2007, Stefani Germanotta já tocava e cantava em casas noturnas de Nova York, onde nasceu, numa família rica. Mas sua música não conseguia chamar a atenção de ninguém: público, crítica e produtores. Até que um dia, quando se apresentava num bar, ela ficou indignada ao perceber que as pessoas não estavam dando a mínima para o seu show. Para conquistar a atenção da plateia, a jovem tirou a roupa, ficando no palco só de calcinha e sutiã, e continuou cantando, agora, sim, sob os olhares atentos do público - especialmente os homens.

AE, Agência Estado

29 de julho de 2010 | 11h41

Foi assim que ela percebeu que investir em apresentações espalhafatosas e declarações polêmicas - como a de que seria bissexual - poderia ser uma ótima maneira de compensar sua música de qualidade duvidosa. A verdade é que, desde então, Stefani virou Lady Gaga, conquistando fama e sucesso em todo o mundo. Mesmo tendo lançado apenas um disco, "The Fame", em 2008, ela já vendeu mais de 15 milhões de unidades e tem shows com ingressos esgotados em qualquer lugar do planeta. Com uma carreira tão meteórica, a vida de uma garota como essa mereceria uma biografia, mesmo ela tendo apenas 24 anos?

A resposta, segundo a jornalista britânica Helia Phoenix, 29 anos, é sim. Escrita por Helia, chega este mês ao Brasil a biografia não-autorizada "Lady Gaga". E, neste caso, o "não-autorizada" não significa que a obra traz episódios polêmicos e inéditos da vida da cantora. Nem se quisesse, Lady Gaga poderia ter autorizado a biografia. É que Helia nunca conversou com a cantora americana. Nunca. Nem uma entrevista, sequer. Em entrevista ao Jornal da Tarde, a própria autora admite essa falha gravíssima para quem quer escrever a biografia de alguém. "Tentei contato, mas os empresários dela nunca me responderam", diz Helia.

Por isso, o livro da jornalista foi escrito baseado apenas em entrevistas dadas por Lady Gaga a vários jornais e revistas e declarações postadas no YouTube. Se você fizer uma pesquisa na internet sobre a vida da cantora, vai encontrar tudo lá. O livro não traz nada sobre a vida de Gaga que já não tenha sido publicado. Faltam dados sobre a infância da cantora, detalhes sobre o namoro conturbado com seu único amor (até agora) - o ex-namorado Luc Carl -, além, claro, de entrevistas com a própria Lady Gaga. Helia Phoenix confessa só ter assistido a um show da cantora. A jornalista justifica a decisão de escrever o livro mesmo sem ter acesso à biografada. "Lady Gaga inspira os jovens. A vida que ela já viveu vale por cinco. Há um interesse das pessoas em conhecer a história dela", diz. As informações são do Jornal da Tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
músicabiografiaLady Gaga

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.