Brigitte Bardot é condenada por incitar ódio racial

Um tribunal parisiense condenou hoje a atriz Brigitte Bardot por incitar a discriminação e o ódio racial, por causa de um artigo em que afirmava que os muçulmanos estão destruindo a França. A corte impôs à estrela cinematográfica e ativista dos direitos dos animais uma multa de US$ 23.325 (R$ 38 mil). A queixa foi apresentada no ano passado pelo grupo francês anti-racismo conhecido como MRAP. A acusação se referia a uma carta enviada por Brigitte ao então ministro de Interior e atual presidente da França, Nicolas Sarkozy. Suas declarações apareceram em uma publicação trimestral da fundação da atriz.Na carta a Sarkozy, ela diz que a França está "cansada dessa população que está nos destruindo, destruindo ao nosso país ao impor seus atos". A atriz se referia à festividade muçulmana de Aid el-Kebir, na qual ovelhas são mortas. As leis do país proíbem o incitamento ao ódio e à discriminação contra grupos religiosos ou raciais. Brigitte, de 73 anos, já havia sido condenada em outras quatro ocasiões por incitar ódio racial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.