Brecheret, o célebre artista do empurra-empurra

Na Pinacoteca, monitores contam tudo sobre as obras do escultor do Monumento às Bandeiras Mais conhecido como ´empurra-empurra´, o Monumento às Bandeiras, em frente ao Parque do Ibirapuera, está entre as mais expressivas obras do escultor Victor Brecheret. Para lembrar os 50 anos da morte do artista, a Pinacoteca do Estado de São Paulo está promovendo visitas monitoradas às peças do artista presentes em sua coleção. Os monitores estão à disposição para contar tudo sobre as obras: origem, técnica, seu contexto dentro da carreira do artista. Outra boa fonte para saber mais sobre o artista é o livro Brecheret - A Linguagem das Formas (Instituto Victor Brecheret, R$ 220, 308 págs.), com texto e pesquisa da historiadora Daisy Peccinini. Entre as obras que podem ser vistas na Pinacoteca está a escultura Portadora de Perfume, doada por Brecheret ao término do seu estágio como pensionista do Estado, em 1928 na Europa. Como diz a coordenadora do Centro de Documentação e Memória da Pinacoteca, Marcia Camargos, dentre essas obras se pode ainda destacar um auto-retrato em bronze, doado este ano pela filha do artista, Sandra Brecheret, um presente pelo centenário da Pinacoteca. "A cabeça é a mesma que está no Monumento às Bandeiras, pois ele se auto-retratou em uma daquelas figuras puxando a barcaça." No outro prédio, na Estação Pinacoteca, onde no segundo andar estão as obras da Coleção Nemirovsky, também pode ser vista O Beijo, em granito belga - no acervo ainda há outras quatro peças. Brecheret esculpiu em mármore, bronze, terracota e pedras figuras humanas e sacras - São Francisco era seu preferido -, personagens míticos e da natureza e há até mesmo uma fase em que se dedicou ao tema indígena marajoara - essa, fase abstrata, entre as décadas de 1940 e 50. Suas obras figuram em diversos acervos, entre eles do Museu de Arte Contemporânea da USP, dos Museus de Arte Moderna de São Paulo e Rio, do Masp e da Faap. Pinacoteca do Estado: Praça da Luz, 2, tel.: 3229-9844. Das 10h às 17h30. Entrada: R$ 4, grátis aos sábados

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.