Brasília sedia mostra 'Cuba, Mucho Gusto'

Que país é Cuba? Após a revolução de Fidel Castro, a ilha foi palco de um dos episódios mais emblemáticos da Guerra Fria - a crise dos mísseis, quando o mundo escapou por um triz de um conflito nuclear. O país resiste como pode à margem do sistema capitalista, e mesmo assim pulsa, vibra e arrebata com sua arte multifacetada. Desperta paixões e rancor em medidas proporcionais, seja entre a esquerda nostálgica ou aqueles que escaparam do regime para seguir a vida em outro lugar.

AE, Agência Estado

23 de novembro de 2012 | 11h01

São muitas as respostas possíveis para definir Cuba - há também os mojitos e os charutos, os estereótipos mais fáceis - e parte delas pode ser conferida na exposição Cuba, Mucho Gusto (Cuba, Muito Prazer), aberta ao público desde quarta, 21, no Museu Nacional da República, em Brasília, onde fica até o dia 2. "Queremos que as pessoas descubram a Cuba dos cubanos, não a do sistema, não a socialista, mas a do povo, dos cortiços, das cores, dos sons, da rua", disse a curadora da mostra, a artista plástica mineira Ivana Panizzi. Há negociações para incluir São Paulo e Rio no roteiro.

Cuba, Mucho Gusto apresenta um farto menu degustação do que os artistas cubanos têm de melhor a criar. O acervo reunido inclui 130 fotos, 30 filmes (entre eles, um documentário com o mesmo nome da mostra, exibido pela primeira vez), mais de cem cartazes de filmes, uma instalação.

Também devem integrar a comitiva a diretora do Instituto Cubano de Arte e de Indústria Cinematográficas, Aline Rey, a artista gráfica Yamily Brito e o diretor geral da Fototeca de Cuba, Nelson Ramírez. Haverá oficinas de fotografia e artes gráficas, palestras sobre cultura cubana, cinema, literatura, projeção de filmes (a programação completa pode ser conferida em www.cubamuchogusto.com.br).

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
visuaisCubaMucho Gusto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.