Brasileiros e bons, Mutum e Estômago

Como Perder um Homem

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2012 | 03h08

em 10 dias

15H50 NA GLOBO

(How To Lose A Guy In 10 Days). EUA, Alemanha, 2003. Direção de Donald Petrie, com Kate Hudson, Matthew McConaughey, Adam Goldberg.

Matthew McConaughey faz publicitário que aposta com o chefe que poderá conquistar uma mulher, qualquer mulher, em dez dias - e caso ganhe ficará no comando da principal campanha da firma. Ele escolhe Kate Hudson, uma repórter feminista que está escrevendo artigo sobre como perder um homem em dez dias. Um se torna o (e a cobaia) do outro. O carisma dos atores ajuda e torna o filme melhor que é.

Reprise, colorido, 116 min.

O Preço da Traição

23H05 NA GLOBO

Chloe). EUA, Canadá, 2009. Direção de Atom Egoyan, com Julianne Moore, Liam Neeson, Amanda Seyfried, Max Thieriot, Rh Thomson, Nina Dobrev.

Julianne Moore e Liam Nesson formam o que parece o casal perfeito, mas, quando ele perde um voo - e a festa surpresa que a mulher lhe preparou -, ela começa a desconfiar da fidelidade do companheiro. Para testá-lo, contrata garota de programa com a missão de seduzir Neesson. O canadense, nascido no Egito de ascendência armênia, Egoyan gosta de discutir relações num quadro de ambivalência. É um grande diretor, mas este não é um de seus grandes filmes.

Reprise, colorido, 96 min.

O Engano do Panamá.

0 H NA CULTURA

(The Panama Deception). EUA, Inglçaterra. 1992. Direção de Barbara Trent.

Vencedor do Oscar de documentário, discute, a partir do caso do Panamá, no começo dos anos 1990, como o governo dos EUA cria guerras segundo seus interesses econômicos e políticos e como a mídia é conivente com a Casa Branca, encobrindo e sonegando informações ao público. O presidente em exercício, na época era George Bush, que ensinou bem ao filho, George Bush Jr., práticas de manipulação da opinião pública. Bush Jr. repetiu a prática do pai no Afeganistão e no Iraque, em nome do combate ao terrorismo no pós 2001. Reprise, colorido, 56 min.

Estômago

2H55 NA GLOBO

Brasil/Itália, 2008. Direção de Marcos Jorge, com João Miguel, Fabíula Nascimento, Babu Santana, Carlo Briani, Zeca Cenovicz, Alexander Sil.

Poder, gastronomia e sexo - João Miguel faz nordestino que vem tentar a sorte no Sul e descobre sua habilidade como cozinheiro. O envolvimento com uma prostituta complica sua vida, ele vai parar na cadeia, fazendo banquetes para um chefão, mas a coisa não termina aí. Na verdade, acaba em antropofagia. Um filme de tom inusitado no cinema brasileiro, bem feito e interpretado. Não é para todos os gostos, mas quem curte a arte com o pé na marginalidade vai adorar.

Reprise, colorido, 112 min.

TV Paga

Os Filhos de Katie Elder

19H45 NO TELECINE CU*LT

(The Sons of Katie Elder). EUA, 1965. Direção de Henry Hathaway, com John Wayune, Dean Martin, Martha Hyer, Earl Holliman, George Kennedy.

Westerns e policiais deram a medida do grande talento de Hathaway, embora o romance (fantástico) de Peter Ibbetson, em outro registro, tenha feito o delírio dos surrealistas. O diretor fez muitos filmes em parceria com o astro John Wayne e este é sólido. Wayne faz pistoleiro que volta para casa para o enterro da mãe. Ao descobrir que ela morreu na sequência das pressões de um estancieiro que queria se aposar de suas terras, o herói e seus irmãos pegam em armas. Relações familiares, uma personagem que nunca aparece, mas cuja presença é permanente (na casa, nos objetos e nas lembranças das pessoas), tudo contribui para a aura do filme. E existe cenas da porretada em George Kennedy. De tão inesperada, você se arrisca a perdê-la se piscar. Reprise, colorido, 112 min.

Mutum

18H35 NO CANAL BRASIL

Brasil, 2007. Direção de Sandra Kogut, com Thiago da Silva Mariz, João Miguel, Wallison Felipe Barroso.

Adaptado de Campo Geral, de Guimarães Rosa, o filme pode não satisfazer os puristas do grande escritor, mas o mundo isolado das Geraes - Mutum -, visto pelo olhar do garoto, é, ao mesmo tempo, uma bela experiência estética e humana.

Reprise, colorido, 95 min.

Cinzas do Paraíso

22 H NO TCM

(Days of Heaven). EUA, 1978. Direção de Terrence Malick, com Richard Gere, Brooke Adams, Sam Shepard.

O segundo longa de Malick, após Terra de Ninguém, de 1974. Ele foi se tornando um diretor bissexto e recluso, o que contribuiu para que se esculpisse sua fama - o mito. Richard Gere e Brooke Adams são amantes que se passam por irmãos em Chicago, no começo do século passado. Deixando a cidade grande, vão parar no Texas, na fazenda de Sam Shepard, que evoca Reata, do clássico Assim Caminha a Humanidade, de George Stevens. Shepard, que parece estar morrendo, se apaixona por Brooke. Achando que ela poderá herdar a propriedade, Gere estimula o casamento, mas Shepard não morre e a tragédia é eminente. Malick é daqueles autores que transformam o mínimo em máximo. As menores coisas ficam maiores que a vida. De todos os seus filmes, este é o que mais se liga a A Árvore da Vida, que ganhou a Palma de Ouro no ano passado., Reprise, colorido, 94 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.