Brasileiros de classe e um Chaplin genial

O Menino da Porteira

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

25 Fevereiro 2013 | 02h09

16 H NA GLOBO

Brasil, 2009. Direção de Jeremias Moreira Filho, com Daniel, João Pedro Carvalho, Vanessa Giacomo, José de Abreu, Rosi Campos, Eucir de Souza.

O próprio diretor Moreira Filho já fizera, em 1971, a primeira versão do filme adaptado da canção sertaneja, com Sérgio Reis no papel do boiadeiro que se liga ao menino do título. O cantor Daniel é quem faz o remake, com José de Abreu na pele do fazendeiro que tiraniza o garoto. Sentimental, bem fotografado - o que dizer do filme que não seja ofensivo? Que ele é correto? Está dito. Reprise, colorido, 100 min.

Controle Absoluto

22H50 NA GLOBO

(Eagle Eye). EUA/Alemanha, 2008. Direção de D J Caruso, com Shia Labeouf, Michelle Monaghan, Rosario Dawson, Michael Chiklis, Anthony Mackie, Ethan Embry.

Shia Labeouf e Michelle Monagham têm suas vidas cruzadas num episódio que envolve a tentativa de assassinato do presidente dos EUA e, portanto, a segurança nacional. O thriller conspiratório coloca a dupla na lista dos inimigos públicos, mas é bom desconfiar de quem está comandando a caçada. Dá para ver, mas sem muita empolgação. Shia virou diretor e fez um curta bem recebido no recente Festival de Berlim. Na relação custo/benefício, ele é o sonho dos produtores - não cobra caro e seus filmes têm se pagado com lucro. Reprise, colorido, 117 min.

Revolução da Arte Feminina - 1ª Parte

0 H NA CULTURA

(Woman Art Revolution). EUA, 2010. Direção de Lynn Hershman-Leeson.

Um olhar crítico sobre as mudanças estéticas e comportamentais que o feminismo provocou na vida - e na arte - norte-americanas, na segunda metade do século 20. A emissora exibe o filme em duas partes. Hoje, passa a primeira. Reprise, colorido e preto e branco, 42 min.

Casa de Areia

1H32 NA GLOBO

Brasil, 2005. Direção de Andrucha Waddington, com Fernanda Montenegro, Fernanda Torres, Ruy Guerra, Seu Jorge, Luiz Melodia, Enrique Diaz.

Quando dizem que seu cinema tem o pé na publicidade, o diretor Waddington gosta de jogar na cara do interlocutor justamente o cartaz de hoje do Cinema Brasil, na Globo. Lento, não linear, Casa de Areia tem certo parentesco com o cult japonês A Mulher de Areia, de Hiroshi Teshigahara (que Andrucha não viu). Num imenso areal, as vidas de duas mulheres se confundem. São mãe e filha ou talvez sejam a mesma personagem em diferentes fases da vida. O tempo, que parece parado, move-se no céu - por meio de cometa, avião, etc. Uma experiência estética muito interessante, mas que talvez seja para poucos - apesar da presença das duas Fernandas, mãe e filha. Reprise, colorido, 116 min.

TV Paga

Em Busca do Ouro

13H50 NO TELECINE CULT

(The Gold Rush). EUA, 1925. Direção e interpretação de Charles Chaplin, com Georgia Hale, Mack Swain.

Chaplin fez grandes filmes que esculpiram sua fama como um dos grandes do cinema, e um autor que fez a linguagem avançar, o que muitos ainda não reconhecem. Podem-se preferir outros filmes de sua lavra - O Garoto, Tempos Modernos, O Grande Ditador, etc -, mas este talvez seja o mais engraçado e o mais genuinamente chapliniano. Carlitos participa da corrida do ouro no Yukon. Grandes cenas - a cabana que se equilibra na beira do penhasco; os cadarços do sapato que, no auge da fome, parecem fios de espaguete. Reprise, preto e branco, 82 min.

Scaramouche

14 H NO TCM

(Scaramouche). EUA, 1952. Direção de George Sidney, com Stewart Granger, Eleanor Parker, Janet Leigh, Mel Ferrer, Henry Wilcoxon, Nina Foch.

O livro de Rafael Sabatini já havia sido filmado com Ramon Novarro, mas esta é a versão definitiva. Stewart Granger disfarça-se como artista de teatro ambulante, enquanto aperfeiçoa sua esgrima para enfrentar aristocrata que matou seu amigo, na França do século 18. O diretor Sidney foi ás do musical e deixou a marca de seu talento impressa também em dramas (Jeanne Eagles/Lágrimas de Triunfo) e filmes de aventuras (Os Três Mosqueteiros, a versão com Gene Kelly). Produzido com todo capricho da Metro, o programa exibe as melhores virtudes de um cinema clássico, narrativo e, na cena do duelo de espada, elegante. O escritor italiano de ascendência inglesa Sabatini escreveu livros populares que renderam filmes emblemáticos, incluindo Capitão Blood e O Gavião do Mar, ambos de Michael Curtiz, com Errol Flynn. Reprise, colorido, 118 min.

Cidade Baixa

0H15 NO CANAL BRASIL

Brasil, 2005. Direção de Sérgio Machado, com Lázaro Ramos, Wagner Moura, Alice Braga.

Dois amigos se envolvem com a mesma mulher e a relação de muitos anos, de repente, é desestabilizada. O diretor Machado revela a Salvador da marginalidade - da Cidade Baixa -, mas o que faz de seu filme uma obra de exceção é o elenco. Lázaro Ramos, Wagner Moura e Alice Braga entregam-se às paixões dos personagens com os nervos à flor da pele. Isso e o prodigioso trabalho de câmera de Toca Seabra fazem do programa uma experiência intensa, para se dizer o mínimo. Reprise, colorido, 98 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.