Brasileiro e argentino concorrem ao prêmio Artes Mundi

O brasileiro Mauricio Dias e o argentino Leandro Erlich estão entre os oito artistas de diferentes continentes selecionados para o prêmio internacional Artes Mundi, que concede 40 mil libras, cerca de US$ 70.800, ao vencedor.O ganhador da segunda edição deste prêmio bienal, o mais generoso entre os concedidos à obra de um único artista no Reino Unido, será anunciado em 31 de março na capital galesa, Cardiff. O brasileiro Mauricio Dias, nascido no Rio de Janeiro, colabora com o suíço Walter Riedweg desde 1993. Em suas instalações de vídeo, ambos os artistas exploram a vida de pessoas que vivem à margem da sociedade e da cultura dominantes, como imigrantes e prostitutas, além dos que, literalmente, estão nas fronteiras de um país, como a polícia de fronteiras.Erlich é autor de esculturas e instalações que exibem um mundo de truques e ilusões - portas que não se abrem, espelhos que não refletem -, colocando em questão nossa percepção habitual da realidade. O artista argentino, que nasceu em Buenos Aires, onde trabalha, expôs recentemente na Bienal de Veneza.Outros finalistas são: o indiano Subodh Gupta, a finlandesa Eija-Liisa Ahtila, o alemão Thomas Demand, a britânica Sue Williams e o chinês Wu Chi-Tsung, que ganhou o prêmio das Artes de Taiwan em 2003.Os artistas foram selecionados por dois prestigiosos especialistas: o crítico e escritor brasileiro Ivo Mesquita e o historiador indiano de arte Deepak Ananth.O júri que escolherá o ganhador é integrado pelo crítico de arte cubano Gerardo Mosquera; Gai Guo-Qiang, artista que trabalha em Nova York; Thelma Tlden, diretora do Studio Museum, do Harlem; PaoloColombo, do Museu Nacional das Artes, de Roma; e JenniSpencer-Davis, da galeria Glynn Vivian, de Swansea, Gales.As criações serão expostas ao público no Museu e Galeria Nacional, de Cardiff, 11 de fevereiro a 7 de maio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.