Brasileiro disputa prêmio mais valioso da arte britânica

O brasileiro Tonico Lemos Auad é um dos dez artistas indicados ao Beck´s Futures, o prêmio de maior valor das artes britânica. Destinado à produção de novíssimos talentos, o Beck´s Futures concede 65 mil libras (cerca de R$ 335 mil) em prêmios, dos quais 20 mil libras (R$ 102 mil) cabem ao primeiro colocado. Auad concorre com esculturas de animais feitas a partir de tufos de carpete e desenhos em cachos de bananas.Outro selecionado é o romeno Ergin Cavusoglu, videoartista que concentra seu trabalho em imagens noturnas de Londres feitas a partir de seu apartamento, através da cortina. Já o trabalho da escocesa Susan Philipsz consiste em gravar em casa suas interpretações das músicas do Radiohead, Nirvana e Rolling Stones, sem acompanhamento, e exibir o resultado em lugares prosaicos como supermercados e estações de ônibus. Também chama a atenção o trabalho da holandesa Nicoline Van Harskamp, que transforma seguranças em peças de exposição.Dos dez indicados, metade é de estrangeiros radicados na Grã-Bretanha, o que mostra "quanto os imigrantes renovam a criatividade" do país, conforme Philip Dodd, diretor do Institute of Contemporary Arts, onde as obras estarão expostas até a definição dos vencedores, em abril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.